Página inicial > Imaginal > Theosophia

Theosophia

    

É preciso fazer uma distinção importante entre a Theosophia  , enquanto uma corrente filosófica que se desenvolveu desde a Antiguidade   e se desdobrou como «dimensão oculta do Cristianismo» a partir da Renascença, e Teosofismo, corrente «esotérica» que teve seu auge na formação da Sociedade Teosófica com suas ramificações posteriores. O texto de René Guénon, Teosofia e Teosofismo, é bastante elucidativo a este respeito.

Para ter certeza   desta distinção estaremos usando o termo grego Theosophia como referência a esta metafísica   grega e cristã elaborada dos séculos XVII a XIX.


Segundo Arthur Versluis  , a ênfase na revelação atemporal ou gnose dentro da Cristandade é mantida por aqueles que tradicionalmente são chamados «teósofos» (vide Theosophos. A palavra «teosofia» — theos  , «divino» e sophia  , «sabedoria» — refere-se a autêntica tradição   gnóstica dentro da Cristandade, que vai de Dionísio o Areopagita  , através de Clemente de Alexandria   e Orígenes  , a Máximo o Confessor, João Escoto Erígena  , Mestre Eckhart  , Johannes Tauler  , Jacob Boehme  , Gottfried Arnold, Franz von Baader  , até a era presente  . Teósofos são por vezes católicos romanos, por vezes protestantes, por vezes ortodoxos. Estão unidos, entretanto, dentro da tradição cristã, em suas afirmações comuns da experiência espiritual autêntica e transmutação. As palavras «gnóstico» e «teósofo» são de fato intercambiáveis, embora «teósofo» esteja geralmente referindo-se a místicos alemães dos séculos XVII, XVIII e XIX, ou aqueles diretamente influenciados por estes.