Página inicial > Palavras-chave > Escritores - Obras > Teologia Germânica / Theologia Germanica / Théologie Germanique / TG / (...)

Teologia Germânica / Theologia Germanica / Théologie Germanique / TG / German Theology

  

Debate-se ainda hoje se este pequeno livro seria realmente escrito por Lutero. Ao que tudo indica o manuscrito que se dispõe não difere essencialmente de um que Lutero havia escrito e publicado em 1518, sob o título "Uma teologia alemã, um nobre pequeno livro ensinando uma boa inteligência do que são Adão e o Cristo e como Adão deve morrer em nós e o Cristo aí ressuscitar". A denominação Theologia Germanica ainda não figurava no título da edição parcial do mesmo manuscrito e de um similar que Lutero teria dado para impressão em 1516. Este título foi fixado nas traduções francesas, pelo menos na de Sébastien Castellion em 1558. Desde então assim ficou conhecida esta obra que teve um papel importante na tradição da Theosophia dos séculos seguintes.

Pode-se tentar estabelecer como foi elaborado este opúsculo de mística mais moral que especulativa, diria de mística moral. Sua economia geral é bastante clara; segue a via habitual na matéria: depois de ter exposto seu fundamento (cap. 1-12), passa da purificação (cap. 13-24) pela iluminação (cap. 25-40) até a união (cap 41-54). Mas ao longo deste itinerário espiritual, há numerosas repetições de ideias e de fórmulas como se pode produzir quando se expõe a mesma matéria a auditórios diferentes; o leitor é interpelado por imperativos o convidando prestar atenção; alguns capítulo terminam por Amém; como sermões ou homilias; o capítulo 14 tem a brevidade de um esquema a ser desenvolvido; advérbios e conjunções salientam o encadeamento das ideias como se pudesse escapar àquele que não fosse um leitor tendo tempo de refletir na sequência das ideias apresentadas, mas um auditor submetido à démarche de uma exposição oral. Seriam então os capítulos instruções verbais cujos auditores consignaram a substância e a forma em notas, "reportationes"?

No estudo "The Rhineland Mystics", Oliver Davies apresenta a obra com algumas considerações diferentes:
O autor desta obra é conhecido somente pelo nome de "o homem de Frankfurt". Não se tem detalhes de sua vida mas acredita-se que pertencia aos "Cavaleiros da Ordem Teutônica", originalmente uma das ordens militares da Igreja, um fenômeno medieval estranho para nossos dias, que combinava a profissão militar com a vocação religiosa. Esta Ordem foi criada durante as Cruzadas, em 1190, mas no século XIV estava inteiramente implicada na colonização e administração da Europa Central e Oriental.

Há alguma disputa sobre a datação da Theologia Germanica, mas tudo indica que deve ter sido escrita por vota do século XV. Seu trato dos temas da tradição religiosa renana explorados por Mestre Eckhart   e Johannes Tauler   é estático: o autor está transmitindo e comentando sobre uma tradição que já está formada e da qual herda, e não cria. É a sublimação de nossa vontade na vontade de Deus e a liberação de nossa mente das criaturas às quais o autor dá mais ênfase.

A Theologia Germanica representa um estágio no desenvolvimento da escola renana se destacando de sua visão espiritual que a inspirou, tornando-se muito popular e mediando a espiritualidade renana para posteridade. Sua influência sobre as gerações de reformadores protestantes foi imensa, apelando desde o início do movimento ao próprio Lutero, que teria descoberto a obra em 1515.

OBRA NA INTERNET