Página inicial > Palavras-chave > Escritores - Obras > Philokalia / Filocalia / Philocalie / Filocália

Philokalia / Filocalia / Philocalie / Filocália

    

Um pequeno livro do final do século XIX, Relatos de um Peregrino   Russo, reviveu uma tradição   que caía em esquecimento   no Ocidente, a tradição da ORAÇÃO DE JESUS   OU DO CORAÇÃO. Reviveu também uma coleção   de escritos dos padres que a promoveram, especialmente na Igreja   Ortodoxa, reunidos sob o nome de Philokalia («Amor do Belo», em grego).

Existem várias coleções de excertos da Philokalia, algumas inclusive disponíveis online na Internet. Recomendo em especial o pequeno livro de JEAN GOUILLARD  , PEQUENA FILOCALIA DA PRECE   DO CORAÇÃO que reúne uma amostra excelente de autores da Philokalia clássica e de outros afins. Sua apresentação é suficiente para se ter uma boa ideia do que seja este movimento   e esta abençoada tentativa de reunir em uma única obra este acervo espiritual, em grande parte da tradição ortodoxa. Uma iniciativa de verter a Philokalia para português encontra-se em PRECE DE JESUS.


A Oração de Jesus é a prece que se apoia integralmente na invocação do Nome de Jesus, seja só ou inserido em uma fórmula mais ou menos elaborada. Trata-se de uma arte espiritual muito apreciada pela tradição ortodoxa de origem bizantina. Um pequeno livreto escrito por um «monge   da Igreja do Oriente», que prefere o anonimato, vai nos guiar   na sua compreensão, juntamente com o valioso trabalho   de elucidação de sua prática, realizado por Alphonse e Rachel Goettman - PRECE DE JESUS — PRECE DO CORAÇÃO.

Recomendo também este clássico medieval Nuvem do Desconhecido  , assim como [Prática da «A PRÁTICA DA PRESENÇA DE DEUS  »].

A INVOCAÇÃO DO NOME DE JESUS foi uma obra escrita por um monge anônimo da Igreja Oriental que aportou alguns esclarecimentos importantes sobre o sentido da oração de Jesus. Existe uma tradução em português na coleção «A Oração dos Pobres» editada pelas edições Paulinas.

A Arte da Prece é também uma coletânea de ensinamentos dos padres da Philokalia, e de outros da tradição ortodoxa, organizada pelo Padre   Chariton do Monastério   de Valamo, que merece ser lida e refletida, pela incontestável beleza e importância das indicações oferecidas.

O Conselho aos Ascetas é uma pequena preciosidade de instruções de Teofano o Recluso  , que compilou a consagrada Dobrotolubiye, a edição da Philokalia em russo.

Os ESCRITOS DA FILOCALIA SOBRE A PRECE DO CORAÇÃO, é a primeira compilação traduzida em inglês, feita a partir da Dobrotolubiye pela Mme Kadoublovsky (secretária de Ouspensky  , discípulo   de Gurdjieff  ) e G.E.H. Palmer (também discípulo). É uma seleção   muito boa, juntamente com o segundo volume  , Primeiros Padres da Philokalia. O maior mérito destas compilações é de aportar a interpretação   da tradição ortodoxa russa, aos escritos originalmente gregos da Philokalia.

TRADUÇÕES:

em francês

Há algum tempo, já existiam traduções avulsas, em francês, das obras dos diferentes autores que compõem a Philokalia, mas ainda não havia, até recentemente, uma publicação que reunisse todos os autores da Philokalia, como em sua edição original do século XVIII, em Veneza.

O louvável esforço de Jacques Touraille nas notícias e na tradução de cada autor, acompanhado do trabalho de introdução e organização de Olivier Clément, veio nos oferecer   uma publicação em dois   tomos (edição esgotada, mas que pode ser encontrada em livros usados nas livraria francesas) reunindo as consagradas traduções dos Padres da Philokalia. Com efeito, tratam-se de traduções já publicadas pela a Abadia de Bellefontaine, que foram revisadas por Touraille, buscando harmonizar os vocabulários adotados e compilando tudo em uma grande obra em dois volumes, com a Philokalia na íntegra, como em sua edição original. No primeiro tomo o trabalho é complementado por uma excelente introdução de Clément, e o segundo tomo com uma conclusão de Jacques Touraille, além de anexos importantes.

Como toda obra sagrada em língua originalmente diferente e distante da nossa, a Philokalia deve ser, se possível, abordada em suas diferentes traduções, como esta indicada acima, a inglesa e a castelhana (tradução em espanhol diretamente do grego, editada na Argentina), para que se possa ter uma aproximação maior do sentido dos termos empregados. É claro que quem tiver a possibilidade de ler diretamente do grego, recomendo baixar a versão grega de escritos de alguns autores da Philokalia, oferecida no site ELPENOR.

A seguir iremos apresentar alguns excertos da apresentação de Olivier Clément e das observações do organizador Jacques Touraille, que acompanham a edição francesa da Philokalia.

em inglês

Tradução Inglesa da Philokalia, Philokalia em inglês
Philokalia - The Complete Text

Obra que reúne um conjunto seleto de escritos da Philokalia traduzidos a partir da edição russa de Teófano o Recluso. A sua beleza está na escolha   sensata nas traduções de termos-chaves, graças à dedicação pessoal dos tradutores a um trabalho interior que os qualificou sobremodo para a empreitada. Vale também pelo fato de partir de uma interpretação prévia da tradição exposta pela Philokalia, elaborada por Teófano o Recluso - vide Conselho aos Ascetas - ao fazer sua tradução do grego para o russo.


Tem o grande valor   de enfrentar o desafio de uma tradução direta e integral da Philokalia original em grego, complementada por intensa pesquisa sobre seus autores, que levou a revisão das apresentações originais de cada autor. Ao mesmo tempo, vale muito pela compilação de um inestimável glossário de termos-chaves, que fazemos uso em nossas explicações em Philokalia-Termos.

Lamentavelmente esta tradução parou no volume 4, faltando um volume 5 que não se tem qualquer previsão de publicação. Nem se sabemos se será produzido, dado o falecimento de alguns dos tradutores.

A linguagem e o estilo foram cuidadosamente trabalhados para uma leitura mais fácil do que a tradução francesa, que aparenta ser mais rigorosa e até mesmo mais literal, possivelmente mantendo a linguagem mais dura dos originais em grego.

em espanhol

Uma tradução em espanhol se apresenta como sendo feita diretamente do grego, na íntegra e respeitando a organização original da Philokalia. Trata-se da versão argentina publicada pelo Editorial Lumen, cujos dados seguem abaixo.

Nicodemo el Hagiorita, Macario de Corinto Editorial: Lumen Número   de Edición : 2 Año de Edición : 1998 Tipo de Edición : Cartoné Páginas: 480 Idioma: Español ISBN: 950-724-780-7

La Filocalia es una obra de Nicodemo el Hagiorita y Macario de Corinto. Edición crítica de cuatro volúmenes   introducida y anotada por M. Benedetta Artioli y M. Francesca Lovato, de la comunidad de Monteveglio, y supervisada por el Dr. Luis Glinka ofm, profesor de Patrología en la Universidad Católica Argentina.

La Filocalia, que se presenta por primera vez en español en su edición íntegra y crítica, representa un hecho cultural y religioso de enorme importancia. La Filocalia es uno de los clásicos más profundos y prestigiosos de la literatura y de la espiritualidad del mundo greco-oriental y eslavo-ortodoxo. El influjo   que estos escritos han ejercido en el cristianismo oriental puede ser equiparado al de las Confesiones de san Agustín y la Imitación de Cristo en Occidente.

En este volumen se incluye la edición crítica completa de los textos de Nicodemo el Hagiorita, Antonio el Grande, Isaías el Anacoreta, Evagrio   el Monje, Casiano el Romano, Marcos el Asceta  , el Presbítero Hesiquio, Nilo el Asceta, Diadoco de Fótice, Juan Carpacio y Teodoro de Edesa. Los escritos de este volumen señalan la actividad espiritual unida a la práctica de los mandamientos, de las virtudes morales y evangélicas, mediante la invocación continua del Nombre de Jesús y el fuego de Dios que devora las pasiones.

La publicación integral de la Filocalia es un aporte y un homenaje que Occidente rinde a la sabiduría y el «Amor a la Belleza» (tal es el significado de «filocalia») del cristianismo oriental.

Distribuidora Lumen SRL, Viamonte 1674 (C1055ABF) - Capital Federal Tel/Fax: (54-11) 4373-1414 / (54-11) 4375-0453 - [mailto:ventas@lumen.com.ar]

NA PHILOKALIA: Abade Filemão; Abade Thalassius  ; Antonius  ; Santo Antão; Callisto Patriarca  ; Callisto Telikoudes  ; Callisto Xanthopoulos  ; Callistus Cataphygiotes  ; João Cassiano  ; João Clímaco (Climacus  ); Diadoco de Photiki  ; Elias Ekdikos  ; Evagrio; Filoteu do Sinai  ; Gregório do Sinai; Gregório Palamas; Hesíquio de Batos; Isaías, o Solitário; João Damasceno; João de Karpathos; Macário de Corinto; Marcos, o Asceta  ; Máximo Capsocalyvite; Máximo, o Confessor; Nicéforo, o Solitário; Nicetas Stethatos  ; Nicodemos Hagiorita  ; Nilo do Sinai  ; Pedro Damasceno  ; Simeão da Tessalonica; Simeão Metafrastes; Simeão o Novo Teólogo  ; Teodoro o Grande Asceta  ; Teofano o Monge  ; Teognostos  ; Teoleptos da Filadelfia  ; Barsanufio e João de Gaza; Doroteo de Gaza  ; Isaac o Sírio; Macariana  ; Pseudo Simeão