Página inicial > Palavras-chave > Escritores - Obras > Corpus Hermeticum / Hermetica / CH1 / CH2 / CH3

Corpus Hermeticum / Hermetica / CH1 / CH2 / CH3

    

Corpus   Hermeticum, Hermetica (100-300 dC)

OBRA NA INTERNET: LIBRARY GENESIS


Considerada uma da melhores edições do Corpus Hermeticum, este trabalho   que começa com o estabelecimento dos originais por A.D. Nock, e vem acompanhado pela tradução de A.-J. Festugière  , é apresentado a seguir, conforme o plano de cada obra traduzida, da qual estaremos apresentando excertos traduzidos em português. Cabe não esquecer da notável tradução rica em notas e comentários de Walter Scott, «Hermetica», em três volumes.
Segundo Antoine Faivre  , a Hermetica comporta várias pequenas obras esparsas cuja coleção   mais célebre, aquela que deixará uma marca   permanente sobre o pensamento   ocidental, é o Corpus Hermeticum, ao qual se deve juntar o Asclépio e os Fragmentos de Estobeu. O Corpus Hermeticum reúne dezessete tratados em grego redigidos nos séculos II e III. Estes tratados só se conservaram em manuscritos cujos mais antigos remontam somente ao século XIV. Catorze dentre eles serão traduzidos para o latim por Marsilio Ficino  , em 1463. A Idade Média os tinha esquecido, com exceção do Asclépio. Na Renascença, Valentin Weigel  , pai   da Teosofia germânica — da qual Jacob Boehme   é o príncipe —, cita Hermes   Trismegisto mais que qualquer autor antes de sua época, o Pseudo-Dionísio  , Mestre Eckhart  , Platon   - Platão e Agostinho de Hipona   vinham em seguida. É com efeito ao mítico Hermes Trismegisto, o “três vezes grande”, que estes escritos se referem. À diferença   de doutrinas sobre certos pontos análogos, como o mandeísmo, os ensinamentos marcados pelo selo deste Hermes serão recebidos pelo Ocidente moderno menos como vestígios   de um “passado   superado” que como uma fonte sempre disponível, viva, revificante, convidando a uma hermenêutica perpétua.

Corpus Hermeticum I

Poimandrés - Traités II - XII

  • Tratado I - Poimandres  
  • Tratado II - De Hermes a Tat: Discurso Universal  
  • Tratado III - De Hermes: Discurso Sagrado  
  • Tratado IV - De Hermes a Tat: A Cratera ou a Mônada
  • Tratado V - De Hermes a seu filho Tat
  • Tratado VI - Que o Bem não existe senão em Deus   só e em nenhuma parte mais
  • Tratado VII - Que o maior dos males entre os homens, é a ignorância a respeito de Deus
  • Tratado VIII - Que nenhum dos seres morre e que é por engano   que nomeamos as mudanças destruições e mortes
  • Tratado IX - Sobre a intelecção e a sensação  
  • Tratado X - De Hermes Trismegisto: A Chave
  • Tratado XI - Nous a Hermes
  • Tratado XII - De Hermes Trismegisto: Sobre o Intelecto Comum, a Tat

Páginas:

Corpus Hermeticum II

Neste segundo tomo encontram-se os tratados finais do Poimandres, seguido do Asclepius.

Plano do Asclepius

  • Prólogo
    • Introdução geral
    • Introdução à seção I
  • Seção I Hierarquia e continuidade   no mundo
  • Seção II Dupla função do homem
    • Cuidar das coisas terrestres
    • Adorar Deus
    • Transição à seção III
  • Seção III Dupla natureza do homem
    • A piedade  
    • Membros corporais e membros espirituais
    • Recompensas e castigos póstumos
    • Verdadeira e falsa filosofia
    • Transição à seção IV
  • Seção IV As Causas Primeiras, Deus, a matéria, o sopro
    • Deus
    • A matéria
    • Digressão sobre o mal
    • O sopro
    • Retomada do tema: as três Causas
    • Digressão sobre o invisível  
    • Conclusão
    • Transição à seção V: matéria e intelecto
  • Seção V Hierarquia dos deuses inteligíveis e dos deuses sensíveis
    • Unidade do Todo
    • Transição à seção VI
  • Seção VI Causas e modo de produção de todos os seres
    • Fecundidade de Deus criador
    • Fecundidade dos seres criados
    • Transição à seção VII: pequeno número dos piedosos
  • Seção VII Grandeza   do homem dotado de intelecto
    • Transição à seção VIII
  • Seção VIII O homem criador dos deuses terrestres
  • Seção IX O Apocalipse  
    • Digressões
      • A vontade divina
      • Partilhamento do mundo entre os deuses
  • Seção X Do imortal e do mortal  
    • Transição à seção XI
  • Seção XI O tempo e a eternidade  
    • Oposição
    • Implicação
    • Conclusão
    • Digressões
  • Seção XII Perfeição do mundo pleno   e variedade em todas as suas partes
    • O mundo é pleno
    • O mundo é variado
      • Diversidade das formas individuais em um mesmo gênero  
      • Transformações contínuas no mundo
  • Seção XIII O homem criador dos deuses
    • Transição à seção XIV
  • Seção XIV Heimarmene  , Necessidade  , Ordem  
  • Epílogo e oração   final

Corpus Hermeticum III

Resumo de texto estabelecido e traduzido por A-J. Festugière. Vinte nove extratos herméticos repartidos nos livros I, II, II do Anthologium de Stobaeus.

  • Os Logoi   de Hermes a Tat (I-XI)
    • Excerto   I
      • Breve citação tirada de um logos   mais completo: conhecer Deus.
    • Excerto II A - II B
      • Um único logos: a oposição incorporal - eterno - verdadeiro x corporal - mutável - irreal.
      • De onde vem a dificuldade   de um conhecimento racional de Deus?
        • Deus - asomatos; nós - somatos.
        • Deus é verdade (aletheia  ); o efêmero é esboçado pela representação sensível (hypo phantasias skiazetai).
    • Excerto III-IV
      • A alma  , que é imortal, está sempre em movimento  .
      • Todo movimento procede seja de uma (energeia  ) seja de um corpo.
      • Teoria das forças
        • Forças agindo sobre os corpos
        • Forças agindo sobre a alma
        • Modo de ação das forças
        • Forças agindo sobre os apsycha
        • Corolário e conclusão: deve sempre haver forças e em grande número, pois o (kosmos) nunca é privado delas; toda força é imortal.
      • Classificação das forças
        • Forças divinas agindo sobre os corpos divinos X forças dos corpos perecíveis
        • Forças universais X forças especiais ou individuais
        • Forças dos gêneros X forças particulares
      • Força e aisthesis
        • Teoria da aisthesis
        • Classificação das aistheseis
    • Excerto V
        • Os dois demiurgos e a criação própria de cada um
        • A oposição das aidia e dos corpos terrestres dissolúveis.
    • Excerto VI
      • Doutrina   dos trinta seis decanos
      • Descrição do mundo celeste, nela inserindo algo sobre os astros fixos do zodíaco, uma doutrina dos Decanos.
      • Posição, movimento e papel cósmico dos Decanos
      • Influência dos decanos sobre a terra   e a humanidade
    • Excerto VII-VIII
      • Assim como existe uma (taxis  ) do mundo divino, regido pela Providência - Necessidade, também existe uma ordem da sociedade dos homens, regida pela Justiça.
      • O que em nós depende da Providência, o que da Necessidade, o que da Fatalidade?
    • Excerto IX-X
      • Matéria receptáculo   da genesis  
      • Três momentos do tempo: passado, presente, futuro são e não são independentes um do outro; estão e não estão em correlação um com o outro
    • Excerto XI
      • Uma sequência de quarenta oito kephalaia
      • Uma conclusão parenética

Excertos: