Página inicial > Palavras-chave > Escritores - Obras > Maturana

Maturana

HUMBERTO MATURANA ROMESÍN (1928-2021)

LÉXICO DE FILOSOFIA

OBRA NA INTERNET: LIBRARY GENESIS


CITAÇÕES

Tudo o que é dito é dito por um observador. (atribuído a Maturana em: Heinz von Foerster (1979) "Cybernetics of Cybernetics)

O homem sabe e a sua capacidade de saber depende da sua integridade biológica; além disso, sabe que sabe. Como um psicológico básico e, portanto, a cognição função biológica orienta sua manipulação do universo e do conhecimento dá certeza aos seus atos; o conhecimento objetivo parece possível e através do conhecimento objetivo o universo parece sistemático e previsível. ("Biology of Cognition", in Autopoiesis and Cognition: The Realization of the Living, 1980, p. 5-58)

Os sistemas vivos são unidades de interações; eles existem em um ambiente. De um ponto de vista puramente biológico, eles não podem ser compreendidos independentemente daquela parte do ambiente com que interagem: o nicho; nem o nicho pode ser definido independentemente do sistema vivo que o especifica. (ibid.)

Um sistema vivo, devido à sua organização circular, é um sistema indutivo e funciona sempre de maneira preditiva: o que aconteceu uma vez ocorrerá novamente. Sua organização (genética ou não) é conservadora e repete apenas o que funciona. Por essa mesma razão, sistemas vivos são sistemas históricos; a relevância de uma determinada conduta ou modo de comportamento é sempre determinada no passado. (ibid.)

Uma máquina autopoiética é uma máquina organizada (definida como uma unidade) como uma rede de processos de produção (transformação e destruição) de componentes que:
(i) através de suas interações e transformações, continuamente se regeneram e realizam a rede de processos (relações) que os produziram; e
(ii) a constitui (a máquina) como uma unidade concreta no espaço em que eles (os componentes) existem especificando o domínio topológico de sua realização como uma rede. (Maturana, H.R. & Varela, F.J.. Autopoiesis and cognition: The realization of the living. 1980)