Página inicial > Antiguidade > Salmo I

Salmo I

domingo 20 de março de 2022

      

O primeiro salmo   reúne os elementos   principais da disposição   face   ao caminho   a seguir em termos de trabalho   sobre si mesmo  . As tentações, a condição do justo do Senhor (árvore entre céu e terra   banhada pelas águas da vida), o juízo e o destino dos pecadores, a morte
Bem-aventurado   o homem   que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.

  • Bem-aventurados - Bem-aventurado: em hebraico   ashrei = “em marcha”; deriva da raiz “ashar” que tem por sentido fundamental a marcha, o passo ou passada do homem na estrada, sem obstáculo, que conduz a YHWH   Adonai  . Este sentido foi perdido na tradução dos LXX  , a Septuaginta, onde foi empregado o termo makariotes, “feliz”, “bem-aventurado”, vindo a influenciar as traduções seguintes, assim como o grego do NT. O verbo herbraico ashar e as palavras que dele derivam significam menos a felicidade alcançada que o caminho que a ela conduz, nas medida que este permite chegar a Deus  . A primeira palavra que abre os Salmos refere-se a um homem em marcha rumo à theosis  , com ênfase nesta marcha, nesta transformação (metanoia  ), mais que na felicidade (v. makariotes) assim alcançada.
  • Este homem enfrenta em sua marcha tentações, que neste verso do salmo se apresentam em três níveis, resumindo de certa maneira os níveis descritos pelos padres da Philokalia   ‘no tocante à tentação (peirasmos  ) ao pecado (hamartia); os três verbos utilizados definem uma progressão na via do pecado, quanto mais associados estão com os pecadores (em hebraico “rasha” = criminosos), de diferentes níveis também: ímpios, pecadores e escarnecedores.
    • andar nos conselho dos ímpios: seria dar atenção e seguir a sugestão (peirasmos) dos ímpios, o conselho à concupiscência (epithymia  ).
    • deter-se no caminho dos pecadores: seria mais que ouvir   à sugestão (peirasmos), entretê-la (homilia   ou syndyasmos)
    • assentar-se na roda dos escarnecedores: é o assentimento   (synkatathesis) ao pecado, passo definitivo para possessão (prolepsis  ) e estímulo dos aspectos negativos das paixões (pathos  ).
      Antes o seu prazer está na lei do Senhor e na sua lei medita de dia e de noite.
  • prazer: em hebraico o termo seria hephes = desejo, desejo amoroso.
  • lei: a Torá   hebraica, enquanto tudo que emana de Deus, não apenas o consignado nos escritos revelados.
  • medita: em hebraico haga, que seria melhor traduzido por murmurar, como uma leitura cantada do texto e a reflexão que provoca.
  • de dia e de noite: na tradição hebraica um dia inicia na noite que o antecede, portanto seria noite e dia.
    Ele como árvore plantada junto à corrente de águas que no devido tempo dá o seu fruto  , e cuja folhagem não murcha, e tudo quanto ele faz será bem sucedido
  • como árvore: este é um símbolo fundamental nas tradições, de imensa riqueza   de sentidos; mediadora entre terra e céu, mergulha suas raízes e estende seus ramos, folhas, flores   e frutos para o céu; o justo mantém esta folhagem viva...
  • plantada junto à corrente de águas: ou melhor, segundo o termo hebraico shatoul = transplantada da ordem   natural   para a ordem sobrenatural, capaz de receber   as águas (outro símbolo fundamental) do Paraíso
    Os ímpios não são assim, são porém como a palha   que o vento   dispersa. Por isso os perversos não prevalecerão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.
  • palha: a casca das gramíneas e de suas sementes, sem qualquer peso ou consistência, levada pelo vento.
  • congregação dos justos: assembleia   que se dispõe em oposição ao conselho dos ímpios.
    Pois o Senhor conhece o caminho dos ímpios, mas o caminho dos ímpios perecerá.
  • O contraste dos dois   caminhos (vide Salmos Caminhos); um “conhecido” pelo Senhor, no sentido bíblico de intimidade com Deus