Página inicial > Medievo - Renascença > Abade Poimem 13

Abade Poimem 13

domingo 20 de março de 2022

    

Tradução do grego de D. Estevão Bettencourt O.S.B.

131. Alguns dos Padres perguntaram ao Abade Poimém: «Como é que o Abade Nisteroo suportou a tal ponto o seu discípulo?» Respondeu-lhes o Abade Poimém: «Se fora eu, teria posto até o travesseiro debaixo da cabeça dele». O Abade Anube perguntou então: «E que dirias a Deus  ?» Continuou o Abade Poimém: «Diria: ‘Tu mandaste: Tira primeiramente a trave do teu olho; depois tratarás de tirar o cisco do olho de teu irmão  ’» (Mt 7,5).

132. Disse o Abade Poimém: «A fome e a sonolência não nos deixam ver essas coisas simples».

133. Disse de novo: «Muitos se tornaram poderosos; poucos, porém, se tornaram incentivadores».

134. Disse também, com gemidos: «Todas as virtudes entraram nesta casa  , exceto uma, sem a qual dificilmente permanece o homem   de pé». Perguntaram-lhe então qual é esta; ao que respondeu: «Que o homem censure a si mesmo  ».

135. Disse muitas vezes o Abade Poimém: «De nada precisamos a não ser de uma mente   vigilante».

136. Um dos Padres perguntou ao Abade Poimém: «Quem é que assim fala: ‘Sou   participante de todos os que te temem?’ (SI 118,63) O ancião respondeu: «É o Espírito Santo que assim fala».

137. O Abade Poimém referiu que um irmão se dirigiu ao Abade Simão nestes termos: «Se saio da cela e encontro meu irmão divagando, também eu divago com ele, e, se o encontro rindo, também rio com ele; a seguir, quando volto à cela, não posso encontrar paz  ». Disse-lhe o ancião: «Queres também tu rir quando, ao saíres da cela, encontrares a quem está rindo, também tu falar quando encontrares a quem está falando, e, a seguir, ao entrares em tua cela, encontrar a ti mesmo como estavas?» Perguntou o irmão: «Como é isto possível?» O ancião respondeu: «Por dentro, mantém guarda  ; por fora, mantém guarda».

138. O Abade Daniel contava o seguinte: «Certa vez fomos ter com o Abade Poimém e comemos juntos; depois do que, disse-nos; «Ide vos, descansai um pouco, irmãos». Foram, pois, descansar um pouco; eu, porém, fiquei para conversar a sós com o Abade Poimém. Por conseguinte, levantei-me e fui a cela dele. Ora, quando me viu chegar, colocou-se na posição   de quem está dormindo. Com efeito, era costume   do ancião fazer tudo de modo despercebido.

139. Disse o Abade Poimém: «Se vires espetáculos e ouvires discursos, não os contes a teu próximo, pois são uma subversão bélica».

140. Disse de novo: «Em primeiro lugar, foge uma vez; em segundo lugar, foge; em terceiro lugar, torna-te uma espada».