Página inicial > Antiguidade > Crátilo

Crátilo

quinta-feira 24 de março de 2022

    

Sobre a propriedade das palavras. Contra o heraclitismo. Insuficiência das palavras e das etimologias para chegar à verdade   e à essência   das coisas. Aparece a teoria   das Ideias.


Crátilo   na Internet
Segundo Luc Brisson  , a antiguidade   foi unânime a reconhecer   no Crátilo a primeira etapa para a constituição de uma ciência da linguagem. Mas, depois de dois   séculos, a evolução da linguística relegou este diálogos ao nível de curiosidade: a conversação de Sócrates com Hermógenes e Crátilo parece pouco séria e coerente, pois as etimologias evocadas são próximas do jogo   de palavras homônimas. Este juízo   negativo não faz justiça a um diálogo   que deve ser lido em função de outros critérios.

O Crátilo trata da relação   que podem entreter as palavras e as coisas que elas designam. Sócrates faz primeiramente reconhecer ao jovem Hermógenes, que sustenta uma tese convencionalista, que os nomes são instrumentos dotados de uma certa « natureza » para « ensinar   as coisas ». Mas estes instrumentos são falhos, como o mostra em seguida a Crátilo, que sustenta uma tese naturalista. Personagem pouco loquaz como um heraclitiano, Crátilo não está totalmente convencido por Sócrates.

Quais eram os alvos de Platão escrevendo este diálogo que nos parece tão desconcertante? Uma vez mais, o filósofo ataca à dupla orientação que tinha então tomado a educação (paideia  ). Recusa conduzir todo o saber da época a suas origens, a leitura dos poetas, e denuncia a exigência da interpretação   alegórica que dela decorre, exigência da qual Eutífron   dá um bom exemplo no diálogo epônimo, que se funda sobre a premissa errada de uma acesso possível à realidade   bruta das palavras. Platão luta   igualmente contra as pretensões dos grandes tenores da sofística, Prodicos e Protágoras  , a se dar conta da etimologia fundando a linguagem sobre o conhecimento do sensível. Para o Platão do Crátilo, os nomes são imagens das realidades verdadeiras, as Formas que se situam além do sensível. E é no Sofista   que o problema posto no Crátilo será resolvido. A retitude de um termo depende de um acordo   sobre uma definição explicitando « o que é » a realidade investigada, e obtida ao final de uma discussão rigorosa que obedece às regras da dialética.