Página inicial > Oriente > Extremo Oriente > Matgioi (VM:9-17) – Fo Hi - um agregado intelectual

LA VOIE MÉTAPHYSIQUE

Matgioi (VM:9-17) – Fo Hi - um agregado intelectual

I A TRADIÇÃO PRIMORDIAL

terça-feira 23 de novembro de 2021, por Cardoso de Castro

MATGIOI  . La Voie métaphysique. Paris: Éditions traditionnelles, 1980, p. 9-17

  • Religiões atuais dos povos amarelos se compõem de um variedade de elementos diversos, um amálgama popular originário de três fontes geradoras: religião primitiva, taoismo e confucionismo.
  • Viajantes, missionários e estrangeiros em geral se perderam na interpretação da tradição chinesa, tomando a aparência por realidade. A Tradição Primordial não está vulgarizada.
  • Crítica ao judaísmo.
  • Tradições guardadas cuidadosamente atrás das Grandes Muralhas.
  • Proposta de apresentação dos princípios destas Tradição Primordial, que se enunciaram desde os tempos em que na Europa o homem não se distinguia dos animais.
  • Fohi, imperador enigmático escreveu a 3700 anos antes de Cristo, 2300 anos antes de Moisés, os arcanos metafísicos e cosmogônicos que serviram de trama ao Yiking  ; declarando então retirar seus ensinamentos do passado e estar ciente que sua época ser difícil a conhecer pelas raças futuras.
    • Datando sua obra segundo o estado solar e estelar garantiu sua correta datação.
  • A Tradição Primordial que emerge na China guarda distância das demais tradições ao se declarar humana, dependente unicamente das luzes humana, sem mistério divino ou postulado metafísico.
  • Uma revelação é o contrário de um esclarecimento: revelar é o oposto de desvelar, como recobrir é o oposto de descobrir;
    • uma revelação é uma nuvem sobre a verdade, nuvem cujas forma convém à estética moral do momento;
    • é uma mentira adequada aos sentimentos e às necessidades do momento no qual é formulada e destinada a ser, no futuro, controversa, negada, e substituída, a medida que se transformam os sentimentos que a fizeram nascer.
  • Os mestres do pensamento extremo-oriental não precisaram do concurso do céu para dissipar os erros para criar seus símbolos.
  • Na Tradição intacta e na palavra daqueles que a transmitiam, eles viam claramente o próprio céu e sua obra e assim se satisfaziam de poder compreender o Pai do qual descendiam; não necessitavam vê-lo diante de si mesmos, para impor uma doutrina feita pelos homens, cheia de mistérios surpreendentes ao bom senso e a lógica.
  • Esta tradição é apropriada por ela mesma ao gênero humano, por não ter tido necessidade, para triunfar, da violência de um deus ou de uma intervenção celeste. Não sendo desvelada nem revelada por um deus, nem dogmatizada nem decretada pelos representantes, oficiais ou oficiosos, de uma divindade, ela não reveste caracteres próprios às coisas que são "a priori" acima da natureza humana, e deste modo fora da discussão dos homens.
  • Apologia da Tradição chinesa, em contraste com outras tradições. No extremo-oriente a Tradição se impõe por sua clareza e a virtude poderosa de seu passado:
    • "Ame a Religião: desconfie das religiões", máxima inscrita no portal dos templos e no espírito dos homens. Define com a Religião é a Tradição Primordial, exclusivamente humana, e como as Religiões, de intervenções celestes, são meios mais fáceis, mas menos exatos, de se elevar à Religião.
    • A Religião não tem obrigação, pois originária da razão humana aplicada a conhecer a Essência e a Via de todos os seres, só pode oferecer resultados para o praticante desta busca.
    • A Religião não tem sanções; por princípio de busca ela implica em engajamento voluntarioso, em trabalho consciente individual.
    • A Religião não tem exclusividade, podendo se praticar qualquer culto, sem anátemas.
    • Não há religião de Estado, nem culto e padres funcionários...
    • Não há culto pago
  • A Religião é questão de consciência pessoal e liberdade individual, sendo seus princípios transmitidos como reza a própria Tradição (no sentido de Transmissão).
  • Assim, o primeiro dos homens, Fohi, cristalizou a Tradição Primordial (entendido Fohi, não como um homem, nem um mito, mas a designação de um agregado intelectual, como foi Hermes - vide Hermetismo); desta Tradição Laotseu   retirou um corpo de doutrina e Confúcio um sistema de moral. Isto tudo não poderia se denominar Religião, como conhecemos no Ocidente. Assim é a Tradição, suficiente para "religar" o homem ao Céu.
  • Na prática diária o Ser Supremo está interessado nas evoluções da criação, e principalmente da Humanidade, mas indiferente a que esta Humanidade se ocupe dele; logo nada de sacrifícios externos, temores, esmolas dons feitos por temor, o Senhor espera o trabalho individual de aperfeiçoamento para a reunião do homem com o Ser Supremo.
  • Necessário ter em mente estas duas fórmulas do pensamento chinês: o abaixamento do homem não é um elemento necessário à grandeza do céu: o sofrimento do homem não é um elemento necessário de sua evolução.

Ver online : LA VOIE MÉTAPHYSIQUE