PhiloSophia

PHILO = Apreço + SOPHIA = Compreensão

Página inicial > Modernidade > LusoSofia > Heraldo Barbuy (1913-1979) > Barbuy: Filosofia não é Ciência

O QUE É A FILOSOFIA

Barbuy: Filosofia não é Ciência

Revista Brasileira de Filosofia, vol. IX, Fase. 1, 1959

quinta-feira 7 de outubro de 2021

BARBUY  , Heraldo. O Problema do ser e outros ensaios. São Paulo: Convívio, 1984, p. 75-77.

Variam as acepções da Filosofia? e varia também o seu nome?. Mas, como quer que a Filosofia seja tomada, ela não se confunde com nenhuma outra ciência, com nenhum outro? campo? de preocupações. O âmbito em que se move, se distingue, pela sua natureza?, de todos os outros. A Philosophia? pode ser tomada num sentido? estrito?, designando uma ciência do Ser ou uma ciência das essências como a definiu Platão. Ou ainda, uma ciência da essência e da existência de todos os seres, como a compreendem Aristóteles e os filósofos realistas tradicionais. Em sentido lato, a Filosofia pode ser entendida como Sabedoria? da Vida? ou como conjunto de pressupostos e regras da vida sábia. Ou ainda, como visão, imagem? ou perspectiva? do Mundo?, o que se exprime na palavra? alemã Weltanschauung?. Em todos os seus sentidos a Filosofia constitui um reino? que as demais ciências não atingem, nem podem, por natureza, atingir.

Variam desde a Antiguidade os nomes da Filosofia: Platão denomina Dialética este caminho da Sabedoria, como sendo uma ciência que tem o mesmo nome do método que usa (Dialética), para chegar à Verdade?, que é o seu objeto?. Aristóteles denomina esta ciência pré-eminente de Teologia? ou Filosofia Primeira. Andrônico de Rhodes, ordenando as obras de Aristóteles colocou, depois dos livros Físicos, os livros que tratam do objeto da Filosofia propriamente dita, que vêm depois da Física e que por isso se denominam Meta-Físicos; de onde, a Filosofia recebeu a denominação tradicional de Metafísica.

Dialética, Teologia, Filosofia Primeira, Metafísica, foram as denominações clássicas da Filosofia. Na época moderna, e refletindo o seu espírito?, Clauberg deu à Filosofia o nome de Ontologia?. A Metafísica, porém, se distingue, pelo seu espírito, da Ontologia e não se deve tomar uma denominação pela outra. Ontologia é uma denominação moderna da Filosofia, orientada para o racionalismo? e para a subjetividade? e não é sinônimo exato? de Metafísica. Foi a tentativa de reconciliação entre? empirismo? e racionalismo, processada por Leibniz  , que deu a classificação das ciências de Wolff, onde a Ontologia aparece como parte? da Metafísica. Qualquer que seja porém a perspectiva em que se coloque a Filosofia, jamais o seu objeto se identificou com o de qualquer outra ciência.

Antes de tudo, como ciência da essência e da existência de todos os seres, a filosofia não é uma ciência do particular?, mas uma ciência da realidade? trans-física, ou meta-physica?, isto é, da realidade total e profunda. A filosofia não é, como a julgaram os positivistas e como a julgam ainda hoje muitos cientistas, uma soma? das ciências particulares ou uma generalização dos resultados das ciência particulares e sim e sempre uma ciência que tem por objeto o que as outras ciências não atingem e que é a essência e a existência dos diferentes seres. A filosofia não é a soma das ciências particulares, as quais tratam de aspectos particulares dos seres, porque a filosofia não tem por objeto o resultado, mas antes o fundamento? dos aspectos particulares dos seres. A filosofia não se preocupa com os aspectos particulares dos seres, mas com o fundamento desses aspectos que é a essência ou a substância dos seres. Não é pois a filosofia uma ciência qualquer, uma ciência no sentido atual da palavra. A generalizada corrupção do uso? da palavra ciência torna lícito dizer que a Filosofia está fora de todas as ciências; que a filosofia não é ciência, mas sabedoria.