Página inicial > Palavras-chave > Escritores - Obras > São Paulo / Saint Paul / Paulo de Tarso / San Pablo / Paulo Apóstolo / (...)

São Paulo / Saint Paul / Paulo de Tarso / San Pablo / Paulo Apóstolo / Apóstolo Paulo / Paul the Apostle / Saul of Tarsus

    

Apóstolo   Paulo (c. 5 - c. 64)

Este deve ser o precursor de nossa caminhada pela Cristologia, nossa busca pelos santos Christophoros (o «portadores de Cristo  »), pois conforme suas próprias palavras: «Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou   eu quem vive, mas Cristo vive em mim  ; e esse viver   que agora tenho na carne  , vivo pela fé no Filho   de Deus  , que me amou e a si mesmo   se entregou por mim.» (Gálatas, 2, 19-20)

Praticamente a metade dos livros do Novo Testamento   são as cartas de Paulo às comunidades cristãs que fundou. Debate  -se muito sobre que cartas seriam efetivamente de autoria de Paulo. De qualquer modo, estas cartas são consideradas os documentos mais antigos da Cristandade, datando por volta dos anos 50 AD. Nas cartas se prega uma “boa nova” em muitos aspectos distinta do Evangelhos Canônicos. Nas cartas se fala muito do Cristo, quase nada de Jesus, e não se têm citações de seus ditos.

San Pablo, el apóstol de los Gentiles, aportó una contribución tan determinante para la expansión de la joven religión que cabría preguntarse si, sin él, habría sobrevivido; pero ello, comentó y desarrolló el patrimonio judío de esta nueva religión con la ayuda de elementos   y nociones griegas que recuerdan la filosofía de los Gentiles y sus religiones de Misterios. En efecto, se dedicó al mundo greco-oriental que, sin esta «preparación», hubiera tenido gran dificultad para asimilar la enseñanza de Jesús, que se dirigía a la mentalidad judía. Esta adaptación debió estar en la raíz de las incomprensiones y el odio que surgieron desde los comienzos, entre judíos y cristianos. Por otra parte, cabría preguntarse si las sorprendentes semejanzas entre el cristianismo paulino y las religiones de Misterios o iniciaciones antiguas no fueron las que provocaron las execraciones mutuas que conocemos. Si bien los cristianos sufrieron esas feroces persecuciones durante los tres primeros siglos, ciertamente devolvieron el cambio (centuplicado) a los paganos, por la vía de la erradicación... (leia mais... LA TESIS DE RENÉ GUÉNON SOBRE LOS ORÍGENES DEL CRISTIANISMO)

Paulo tem muitos nomes no Novo Testamento, como lembra Willis Barnstone  , e suas alternâncias têm significância teológica e política. Os nomes ocorrem em hebraico, grego, latim e qualquer língua contemporânea. «Paulo» é seu nome, por exemplo em português, mas vem do grego Paulos, que ele assumiu depois de ter uma epifania   de Jesus. Paulos é um nome tomado emprestado pela língua grega, pois seu nome de nascimento era em português, Saul, em grego Saulos, do hebraico Shaul. Originalmente, Paulo era chamado de «Saul de Tarsos». Depois de se tornar um messiânico, ou seja, um seguidor do Cristo, ele se chamou e foi chamado «Paulos», que não só reflete suas origens entre judeus   de fala grega e aramaica, de Tarsos na Cilícia (na atual Turquia), mas também sugere uma afinidade   com o Império Romano. Ele muda efetivamente seu nome após sua viagem   missionária a Chipre, considerando poder alcançar melhor os pagãos gregos com um nome greco-romano. Para Barnstone, estas colocações se extraem de uma leitura dos Atos dos Apóstolos, cujo herói   é Paulo. Os Atos sendo o primeiro livro de história cristã, é também o mais longo livro no Novo Testamento. Importante notar que o Paulo idealizado nos Atos, cidadão   romano, no trato com oficiais romanos como um respeitado igual, com poderes para curar   e até ressuscitar, não se afigura como o Paulo das Cartas, homem   de luta   de aparência pobre   e saúde fraca, que não possui poderes nem distinções de estado  . Isto, segundo os principais pesquisadores consultados por Barnstone.


Fernando Pessoa  : Rosea Cruz

S. Paulo é a passagem do hermético para o literal. É a passagem evidente e clara. Não falla elle em mistérios?

E a arte do esconderijo? E a arte de envenenar? Onde estão essas duas artes medievaes, e da renascença italiana? Perdidas. E talvez o senhor não sinta a origem   dellas, e a que se deve. Não sabe nem ficará sabendo. Eu sei mas não lh’o digo.