Página inicial > Palavras-chave > Escritores - Obras > Cabala / Qabbalah

Cabala / Qabbalah

    

A Cabala é o esoterismo   judeu  .

Entende-se por Cabala:

  • globalmente: o judaísmo em seu conjunto   mas em seu aspecto esotérico
  • geralmente: o esoterismo judeu depois do século I
  • estritamente: o movimento   nascido como o Sefer ha-Bahir (século XII)

A Cabala é caracterizada por:

  • do ponto de vista das ideias, a crença em um Deus   Uno ao mesmo tempo Ser e Nada (Ein Sof), o emanatismo que não exclui o criacionismo, a teoria   das Sefirot (século XII), a fé na eleição de Israel  , a noção   de Shekhinah (Presença   divina), a concepção da linguagem como instrumento divino e estrutura   cósmica;
  • do ponto de vista das práticas, a hermenêutica, a meditação dos Nomes divinos  , o jejum  , a contemplação, a observância da Torá  , o estudo da Torá.

A Cabala de divide desde o século XIV em duas “orientações” (por vezes complementares):

  • A Cabala especulativa — meditações sobre os Nomes de Deus
  • A Cabal prática — utilização mágica dos Nomes divinos e dos anjos  , até dos demônios; a ideia de Golem; alquimia  , astrologia  ; fisiognomonia, quiromancia; escritura automática, alfabetos angélicos, visão   do éter   safírico

A Cabala (no sentido geral) é rica em correntes:

  • O Talmudismo esotérico (séculos II-V), por exemplo Talmude   Hagigah
  • O Gnosticismo   do Trono (Ma’aseh Merkabah), vide Ezequiel I; e o Gnosticismo do Gênesis (Ma’aseh Bereshit), vide Gênesis I e II
  • A Cabala teosófica, sobretudo o Sefer ha-Zohar   (século XIII)
  • A Cabala profética, sobretudo Abraão Abulafia (século XIII)
  • O Lurianismo, Isaac Luria (século XVI)
  • O Hassidismo esotérico dos Ashkenaz (judeus da Europa)

Em hebraico, kabbalah designa:

  • a parte da Bíblia   judaica que não é o Pentateuco
  • a lei oral, dada por Moisés a iniciados independentemente da Lei escrita (Torá, Pentateuco)
  • o conhecimento dos Nomes de Deus e dos Anjos.

Os ocultistas entendem “Cabala”, em diferentes grafias, como:

  • todo meio de evocação dos espíritos superiores ou inferiores
  • uma teoria ocultista
  • uma numerologia

A chamada “Cabala Cristã” nasceu em meio cristão, dirigida por aqueles que estavam persuadidos do acordo entre esoterismo judaico e mística cristã, depois da iniciativa maior de Pico della Mirandola   (século XV). Outros nomes relevantes desta corrente: Guillaume Postel (séc. XVI), Reuchlin (séc XVI), Khunrath (séc. XVII), von Rosenroth (séc. XVII).