Página inicial > Palavras-chave > Escritores - Obras > Tratado 41 Traité 41 Tractate 41 Enéada IV,6 Enéada IV, 6 Ennead IV,6 Ennead (...)

Tratado 41
Traité 41
Tractate 41
Enéada IV,6
Enéada IV, 6
Ennead IV,6
Ennead IV, 6
Ennéades IV,6
Ennéades IV, 6
IV, 6
IV,6

PLOTINO   - TRATADO 41 (IV, 6) - SOBRE A SENSAÇÃO E A MEMÓRIA

Este tratado se apresenta como um apêndice do conjunto de tratados que apresenta a "psicologia plotiniana" (vide Tratado-27). Este tratado aborda especificamente a relação entre memória e sensação. As precisões aqui dadas são importantes para a construção global da filosofia da alma de Plotino  , questionando inclusive a situação da alma face ao mundo, posto que a memória deriva da sensação, que é ela mesma nossa relação primeira com o universo sensível.

Plano detalhado do tratado

Capítulos 1-2: A sensação

  • Cap 1, 1-11: A concepção da memória depende da concepção da sensação
  • Cap 1,11-40: Explicação da visão. Não vemos, em nós, uma marca do visível, mas o vemos diretamente e fora de nós
  • Cap 2, 1-9: Os objetos da percepção não são nem marcas nem afetos, mas atos. Na percepção, a alma é ela mesma ativa e não passiva
  • Cap 2, 10, 19: Aplicação aos outros sentidos: a audição, o gosto, o odor
  • Cap 2, 19-24: Comparação entre a sensação e o conhecimento dos inteligíveis

Capítulo 3: A memória

  • Cap 3, 1-19: A alma, entre o inteligível e o sensível. Os objetos sensíveis, como os inteligíveis, são apropriados à natureza da alma. Em os apreendendo, ela atualiza seus poderes ou faculdades constitutivas
  • Cap 3, 19-25: A lembrança deriva espontaneamente da sensação
  • Cap3, 25-29: A memória não se explica pela conservação de marcas materiais, e ela não implica nenhuma passividade
  • Cap3, 60-78: A memória é portanto uma atividade da alma e o exercício positivo de uma atitude