Página inicial > Palavras-chave > Escritores - Obras > Enéada IV, 9 Enéada IV, 9 (8)

Enéada IV, 9
Enéada IV, 9 (8)

      

PLOTINO   - TRATADO 8 (IV, 9) - SE TODAS AS ALMAS SÃO SÓ UMA

Na sequência dos tratados 2, 4 e 6 que definiram a natureza da alma   e evocaram as dificuldades decorrentes do cuidado   que toma dos corpos, Plotino examina aqui de novo a questão da unidade   da alma. Trata-se de uma questão clássica e escolástica, que vão ao encontro todas as "psicologias" antigas: deve-se dizer da alma, que exerce funções distintas, que ela é uma multiplicidade ou uma unidade? E neste segundo caso, qual é a unidade que a caracteriza? [Brisson  ]


Capítulo 1: Exposição da tese segundo a qual todas as almas não são senão uma
  • 1-13. Cada alma é uma e todas as almas são só uma.
  • 13-fim. Dificuldades e objeções: qual é esta alma única e como explicar as diferenças entre as almas individuais, e após entre as faculdades   da alma?

Capítulos 2 e 3: Respostas às dificuldades e às objeções

  • Cap. 2. A alma é una e indivisível enquanto alma, mas se divide na multiplicidade dos corpos.
  • Cap. 3, 1-9. Explicação da simpatia universal   como efeito da unidade da alma
  • Cap. 3, 10-fim. A diversidade das faculdades da alma não contraria sua unidade universal.

Capítulos 4 e 5: Justificação da tese.

  • Cap. 4. A unidade de todas as almas se explica pela unidade de sua proveniência
  • Cap. 5. A alma é uma realidade única que, como a ciência, tem a capacidade de ser em múltiplas coisas.