Página inicial > Palavras-chave > Escritores - Obras > Górgias

Górgias

PLATÃO - GÓRGIAS

  • Górgias 447a-448b — Prólogo
  • Górgias 448b-449a — Prelúdio: solo de Polos
  • Górgias 449a-457c — Inicia o debate entre Sócrates   e Górgias
  • Górgias 449c-455a — O que é a retórica? A começar pelo que não é.
  • Górgias 451a-452d — O que é precisamente a retórica
  • Górgias 452d-455a — Uma arte de persuadir uma opinião
  • Górgias 455a-457c — A ação da retórica
  • Górgias 457c-461b — Sócrates   dirige a investigação, definindo princípios
  • Górgias 458e-460a — As inconsequências de Górgias
  • Górgias 460a-461b — Ação da Retórica não tem a universalidade que lhe é atribuída
  • Górgias 461b-462a — Polo substitui Górgias para defender a retórica
  • Górgias 462a-462e — Retórica como savoir-faire cuja meta é o consenso
  • Górgias 462e-465e — Retórica definida como bajulação
  • Górgias 463e-465e — Alma e corpo e suas artes próprias
  • Górgias 465e-468e — Poder do Orador
  • Górgias 468e-481b — Sofrer a injustiça vale mais que cometê-la
  • Górgias 470b-471d — A felicidade do injusto
  • Górgias 471d-472d — A condições de uma prova válida
  • Górgias 472d-474c — Não expiar sua falta é a maior infelicidade
  • Górgias 474c-476a — Por que vale mais sofrer a injustiça que cometê-la?
  • Górgias 476a-478e — Por que vale mais expiar sua falta que não expiá-la?
  • Górgias 478e-479e — O caso de Arquelau
  • Górgias 480a-481b — Para que serve a retórica?
  • Górgias 481b-522e — A força da natureza e sua injustiça
  • Górgias 482c-483a — Sofismo de Sócrates  
  • Górgias 483a-484c — A natureza e a lei; o direito da força
  • Górgias 484c-486d — Lugar que merece a filosofia na vida
  • Górgias 486d-505d — Réplica de Sócrates  : pedra de toque na discussão
  • Górgias 488b-491d — Análise da noção de superioridade
  • Górgias 489e-491a — A inteligência não é o princípio
  • Górgias 491a-491d — Nem a inflexível vontade do homem de Estado
  • Górgias 491d-500a — Análise da noção de autoridade
  • Górgias 492d-494c — Escolha entre ascetismo e moderação
  • Górgias 494c-495e — Distinção entre desejos e prazeres
  • Górgias 495e-499b — Prazer não é idêntico ao bem, nem o sofrimento ao mal
  • Górgias 499b-500a — Bem não se identifica ao útil
  • Górgias 500a-500e — Dois gêneros de vida: o que dá prazer e o que vale à pena
  • Górgias 500e-501d — Retorno à bajulação
  • Górgias 501d-502d — Poesia e eloquência
  • Górgias 502d-503d — Retórica e política
  • Górgias 503d-504d — Importância da ordem, do arranjo e da proporção
  • Górgias 504d-505d — Dever do orador
  • Górgias 505d-513c — Uma retomada da questão se impõe
  • Górgias 506c-507a — Ponto de Sócrates  
  • Górgias 507a-507e — Vida sábia e vida dissoluta
  • Górgias 507e-508c — Verdadeira e falsa igualdade
  • Górgias 508c-509a — Profissão de fé de Sócrates  
  • Górgias 509b-511c — A hierarquia dos males
  • Górgias 511d-513c — O que importa é o que se quer
  • Górgias 523a-527a — O mito do julgamento dos mortos