Página inicial > Palavras-chave > Termos > boulesis / boúlêsis / boúlesis / βούλεσις / βούλομαι / βουλή / ekousios / εκούσιος (...)

boulesis / boúlêsis / boúlesis / βούλεσις / βούλομαι / βουλή / ekousios / εκούσιος / voluntário / volição / hekousíou / hekousíōs / εκούσια / ekousia / ekoúsion / akoúsion / akousion / akoúsia / ἄκων / akoun / involuntário / espontâneo / ekousiou / ekousios / θέλημα / thelêma / ἔφεσις / éphesis / bouleusis / βούλευσις / boúleusis / deliberação / λογίζεσθαι / consideração / ponderação / συμβουλεύεσθαι / eleutheria / ἐλευθερία

    

gr. βούλεσις, boúlêsis, boúlesis (he): vontade espontânea, diferente da vontade deliberada (proaíresis). É, de alguma maneira, um desejo afirmado, que não obedece à razão   (Platão  , Leis, III, 687e). O querer em Platão se refere a algo bom.


βούλησις é um propósito, um desejo, uma [intenção  ]. Escolhemos o substantivo «anseio» para o traduzir, para assim o diferenciarmos de termos afins. O anseio   é a relação que o Humano tem com o impossível. [CaeiroEN  :290 Nota]
gr. θέλημα, thelêma. Platão fala com frequência de um querer, desejar (boulesis) ou ansiar, mas não de uma instância ou faculdade que mais tarde será chamada «vontade». PLotino   adota mais o termo thelema como um querer, vontade, especialmente para o Uno  .
gr. βούλευσις, boúleusis: deliberação, reflexão. O ato intelectual da deliberação é o exame   de uma proposição, de uma tese ou de um assunto com vistas a uma decisão  .
gr. βουλή, boule = conselho. Formado por cada uma das quatro classes, com 90 membros por classe, eleitos por um ano. Eleição complexa por cinco   dias. O Conselho se divide em 12 seções de 30 conselheiros denominados prytaneis, que convocam e presidem assembleias. βουλή era a assembleia   deliberativa, a sede de deliberação.
ἄκων, ákoun: espontâneo, involuntariamente, contra a vontade. Platão assim formula os paradoxos socráticos da moral: «ninguém faz o mal voluntariamente» (Protágoras  ).
gr. ἐλευθερία, eleutheria = liberdade. A falta de liberdade se dá por uma deficiência   de conhecimento (Platão, Lisis). Gandillac   afirma, segundo Plotino, o grego ἐξουσία, exousia como liberdade tanto aquela do Uno quanto das almas singulares, mais afirmada que demonstrada.

Franz von Baader

A crença, enquanto imagem espiritual de Deus  , é em sua essência   própria, no estado   primitivo, uma simples vontade, e esta vontade é uma semente   que o espírito   de fogo   (enquanto alma  ) deve semear na liberdade de Deus, e assim cresce uma árvore saída da mesma semente (na liberdade), e a alma dela se nutre e ela apazigua sua vida ígnea, etc. (Jacob Boehme  , Encarnação   de Cristo  , III.2.1). A vontade que deve ser mobilizada é em seguida, enquanto tal, matéria espiritual, espírito não configurado, assim como o espírito é vontade configurada, e toda inteligência recebeu por assim dizer uma parcela da Água-mãe   (pois tudo origina da vontade como da água e do sangue   e subsiste por eles) a fim de ajudá-la a se transformar em espírito. Eis porque o homem   deve retirar sua vontade já transformada em espírito de seu tesouro   terrestre onde operou esta transformação  ; e para tal ele deve fundir esta forma no fogo (na dor  ) e reconduzi-la ao estado fluido de vontade a fim de que possa imergi-la no mistério de Deus. E assim como esta constituição se operou na alegria  , a destituição deve se operar na dor  . [BaaderFG   I §5]

Karl Renz

This goes   back to what you were saying: There is no Jesus but “what is Jesus”. The divergence between those two expressions is only apparent because when we say “I am Jesus” it is not connected to Jesus as a person.

No, no, actually it’s a mistake, a total mistake. Because if you say that you are free, you again define yourself and stay as “me”, but you are not liberated. You are absolute in the non-knowledge of what you are or what you are not. This is what you are, totally in the mystery of what you are or what you are not. Totally undecided about what you are or what you are not.

This neither excludes nor includes anything. It is to be free of any definition, even of the idea   of freedom. Because there is nobody who needs freedom, nobody who ever had the slightest need. “Be what you are” simply means “Be this Absolute”, which you can neither lose nor gain. And this only is peace, when nobody is left. [RenzCGT  ]