Página inicial > Palavras-chave > Escritores - Obras > Nicolau de Cusa / Nicolaus Cusanus / Nicholas of Kues / Nicholas of (...)

Nicolau de Cusa / Nicolaus Cusanus / Nicholas of Kues / Nicholas of Cusa

      

NICOLAU DE CUSA (1401-1464)

LÉXICO DE FILOSOFIA

OBRA NA INTERNET: LIBRARY GENESIS; TRADUÇÕES EM INGLÊS; TEXTES DE NICOLAS DE CUES


Seria impossível entender-lhe o pensamento  , sem o vincularmos a Eckhart  . Do Uno, que contém virtualmente tudo, procede a multiplicidade das coisas. Aliás, já Santo Tomás escrevera, referindo-se a Deus  , com uma citação de Dionísio Areopagita: "(...) na causa   de tudo é mister que preexistam todas as coisas segundo uma união   natural  " [1]. E, desse modo, as coisas, que são diversas e opostas em si, em Deus preexistem como uma só coisa, sem prejuízo da sua simplicidade.

Na linguagem do Cusano, o fato de em Deus tudo existir como unidade   denomina-se complicatio [2]. No Uno não há distinção de outreidades. O mundo, com sua multiplicidade, é o desdobramento da riqueza   infinita da essência divina. Não se trata, aqui, de panteísmo, porque este concebe o universo   como Deus, ao passo que o Cusano o concebe a partir de Deus.

O Cusano chama de explicatio   o desdobramento do Uno. Esse desdobramento é o mundo, o qual é por Deus, de Deus e em Deus. Evidentemente, aqui se revela o neoplatonismo plotiniano, através do Areopagita. O universo existe como participação, méthexis do Uno. Por outra, o mundo não se identifica com Deus, mas se distingue dele. Logo, o Cusano não pode ser tachado de panteísta, mas panenteísta, ou seja, Deus é transcendente e, ao mesmo tempo, imanente às coisas. [Ullmann  ]


[1Summa Theologica I, q. IV, 2 ad 1.

[2"Dios es la esencia absolutamente simple de todas las esencias; en Él están contenidas todas las esencias que hay, que hubo y que habrá jamás, realmente y desde toda la eternidad" (Docta ign. I, p. 32). "Aqui no se distingue el hombre del león, ni el cielo de la tierra, y en general no se da aqui lo otro y lo distinto (loc. cit., p. 49)" (HIRSCHBERGER, op. cit., p. 357).