Página inicial > Glossário > geração

geração

domingo 17 de outubro de 2021

«A chamada natureza é como que um processo geracional, um caminho para a natureza» [F  , 193b12-13], na medida em que «aquilo que se forma vem de um estado natural primário para um estado último em que se torna naquilo que é» [F  , 193b16-18]. A natureza é uma tendência para se tornar algo [F  , 193b18]. Um homem concreto gera-se de um homem concreto. Ou seja, a mera possibilidade homem não gera o produto natural acabado homem. Esta possibilidade de produzir um produto a partir da sua estrutura constituinte é dada pela tendência para a alteração (ορμή μεταβολής) que radica no princípio da movimentação (ἀρχή κινήσεως). Um ente técnico não se gera a partir de nenhum outro ente técnico. Uma cama, por exemplo, não nasce de nenhuma outra cama. O seu processo de geração e as vias de formação do seu ser concretamente (γένεσις εις ουσίαν) são provocados pela perícia (τέχνη) e não pela natureza (φύσις). Mas também as artes que tendem para o restabelecimento da natureza (φύσις) enquanto perícias (τέχναι) não produzem qualquer coisa da sua própria natureza. A medicina (ἰάτρευσις) [F  , 193b14] tende para o restabelecimento da natureza, mas ela não tende para qualquer coisa do seu gênero, para uma outra forma de cura medicinal (ἰατρική) [Ibid], tende antes para a saúde. A medicina é um encaminhamento para a saúde e não para uma outra medicina. O encaminhamento específico da natureza para a produção dos entes pelos quais é responsável processa-se de uma forma diferente. Aquilo que se gera e desenvolve naturalmente gera-se a partir de algo (ἐκ τινός) [F  , 193b17] e tende para algo (εἴς ὅ) [Ibid]: a chegada ao ente em que se torna. A estrutura da natureza para a natureza é movida pela própria natureza, e manifesta-se em cada ente natural concreto que vem à existência. A natureza faz um ente da sua natureza passar a ser, mantém-no nessa forma de encaminhamento na tendência para a substância. [CaeiroArete:289]


“Living appears also to be shared with plants, but the ἴδιον is what is to be sought. Thus the mode of living that we designate as getting nourishment and growing is to be excluded [as a distinctive possibility of life].” [EN1   6, 1097, b33sqq.] In taking in nourishment, a living thing is in its world in an entirely definite mode. This being-in-the-world can refer back to the manner of bringing into the world, generating and bearing offspring. We have the specific expression “coming into the world.” Getting nourishment and growth are only definite being-possibilities of living, in which this basic possibility, the γεννᾶν, is developed. However, it is nothing specifically human. [Heidegger  , GA18  :99]
LÉXICO: geração