Página inicial > Glossário > kathodos

kathodos

domingo 17 de outubro de 2021

káthodos ou katabasis: descida, queda (da alma). O tema da subida (anabasis) e da descida (katabasis) no símile da caverna repercute na psicologia neoplatônica.


Plotino   professa a preexistência das almas humanas na Alma Universal, denominada hen kai polla. Diz o filósofo: "(...) éramos lá (ekei) almas (individuais) puras e unidas à essência inteira (= psyche universal) e partes dela" (En. VI, 4  , 14, 19-20).

A alma separou-se do mundo inteligível devido à tolma, isto é, à audácia, que consiste no desejo de ser independente. Isso levou-a à queda num corpo. Como Platão  , o filósofo de Licópolis explica a união da alma com o corpo, não como substancial, mas como justaposição, como composto. Ambos relacionam-se pela sympatheia (En. VI, 4  . 3, 19-20). E mais: "O corpo é cárcere e sepultura para a alma" (desmos to soma kai taphos: En. IV, 8  , 3, 3-4). Consequência imediata da preexistência da alma é o problema da origem das ideias, expresso com termos do vocabulário platônico: "reminiscência obscura", e aristotélico: passagem de potência para ato (ek dynameos eis energeian ienai). A alma possui os seres de alguma maneira (pos echei: En. IV, 6  , 3, 16). [Ullmann  ]


Segundo Brisson   & Pradeau  , convém distinguir no caso da alma dois tipos de descida: uma primeira descida, necessária do ponto de vista ontológico, quando a alma se liga a um corpo, em seguida as descidas que a alma efetua, quando ela se volta voluntariamente para os corpos ao invés de para o Intelecto. Quando destas descidas, a vontade da alma se manifesta, e é também, a seu nível, a responsabilidade do ser humano que se encontra engajado. O primeiro tipo de descida é aquele da alma do mundo, o segundo aquele das almas particulares.
LÉXICO: decadência; queda