Página inicial > Glossário > eros

eros

domingo 17 de outubro de 2021

gr. ἔρος, érôs: desejo, amor. Força de união e de engendramento, érôs, "desejo apaixonado", desempenha nas cosmogonias o papel de um modelo de atração, de fecundidade e de ordem., aquele de uma causa motora e ordenadora. (v. philia)


Em Pselo, Padre da Igreja e filósofo neoplatônico tardio, a polaridade negativa da demonologia, já presente com impressionante riqueza de detalhes no De abstinentia de Porfírio, que apresenta, entre outras coisas, sob a influência dos demônios maléficos, a confecção de filtros amorosos, já aparece fundida com a doutrina do espírito fantástico como veículo da fascinação e do enamoramento, ao mesmo tempo em que se ressalta o caráter obscuro e sinistro do demônio aéreo, que se torna agora o agente específico da patologia erótica, dos seus desvarios e dos seus fantasmas. Segundo tal teoria, o demônio aéreo - definido brevemente como “aéreo” — age sobre o espírito fantástico dos homens e assim como o ar na presença da luz, assumindo forma e cor, transmite-os àqueles corpos que são por natureza aptos para os receber (como acontece com os espelhos), assim também os corpos dos demônios, assumindo, da essência fantástica interior, as figuras, as cores e as formas que querem, os transmitem ao nosso espírito, sugerindo-nos ações e pensamentos, e suscitando em nós formas e memórias. Desta forma, eles evocam simulacros de volúpia e de paixão em quem dorme e nos que estão despertos, e frequentemente nos excitam a virilha e instilam em nós amores insanos e iníquos.

A identificação entre (demônio) aéreo e Eros é tão completa a ponto de Pselo afirmar que os demônios aéreos lançam “flechas de fogo” que lembram de perto os ígneos raios espirituais do deus do amor. [1] [AgambenE  :198]


LÉXICO: EROS; erotético; erótica; erotikoi

Observações

[1PSELLUS. De daemonibus. Trad. it. de Marsílio Ficino, in aedibus Aldi. Venetiis, 1516, ρ. 51.