PhiloSophia

PHILO = Apreço + SOPHIA = Compreensão

Version imprimable de cet article Version imprimable

Accueil > Arte e Simbolismo > Brecht (ArtPol:141-142) – dizer a verdade

Brecht (ArtPol:141-142) – dizer a verdade

lundi 3 mai 2021

Esta citação de Bertolt Brecht Brecht BERTOLT BRECHT (1898-1956) é notável. Todavia ficaria ainda mais se ao invés da palavra "verdade", ele usasse "versão de fatos". Especialmente se entendida "verdade" no sentido grego interpretado por Heidegger Heidegger Martin Heidegger (1889-1976), philosophe allemand de "descerramento". Ou seja, há descerramento de algo, este próprio "algo" já uma apropriação como "fato". Por conseguinte, há verdade de modo impessoal, mas de modo pessoal, entre nós, apenas versões de fatos.

nossa tradução

Hoje em dia, quem quer combater mentiras e ignorâncias e escrever a verdade tem que superar pelo menos cinco dificuldades. Ele deve ter a coragem de escrever a verdade, mesmo embora seja suprimida por toda parte ; a astúcia para reconhecê-la, embora esteja disfarçada por toda parte ; a habilidade de fazê-la apta para uso como uma arma ; o juízo para selecionar aqueles em cujas mãos ela se tornará efetiva ; a esperteza para espalhá-la entre eles. Estas dificuldades são grandes para quem escreve sob o fascismo, mas também existem para quem foi expulso ou fugiu, inclusive para aqueles que escrevem nas terras da liberdade burguesa. [BRECHT, Bertolt. Brecht on Art and Politics. Ed. Tom Kuhn Kuhn THOMAS S. KUHN (1922-1996) e Steve Gil. London : Bloomsbury, 2003, p. 141-142]

Original

Today anyone who wants to fight lies and ignorance? and to write the truth has to overcome at least five difficulties. He must have the courage to write the truth, even though it is suppressed everywhere ; the cleverness to recognise it, even though it is disguised everywhere ; the skill to make it fit for use as a weapon ; the judgement to select those in whose hands it will become effective ; the cunning to spread it amongst them. These difficulties are great for those who write under Fascism, but they also exist for those who were driven out or have fled, indeed, even for those who write in the lands of bourgeois freedom. [BRECHT, Bertolt. Brecht on Art and Politics. Ed. Tom Kuhn e Steve Gil. London : Bloomsbury, 2003, p. 141-142]


Voir en ligne : Brecht on Art and Politics (ebook)