Página inicial > Antiguidade > Evágrio Prática

Evágrio Prática

domingo 20 de março de 2022

      

PRAXIS   ou PRAKTIKÉ ou PRÁTICA
Tradução de Antonio Carneiro acompanhada de notas do tradutor.

1 O Cristianismo é a doutrina do Cristo  , nosso Salvador  , que se compõe da prática, da física, e da teologia.

2 O reino dos céus   é a impassibilidade da alma  , acompanhada da verdadeira ciência dos seres.

3 O reino de Deus   é a ciência da Santa Trindade  , coextensiva com a substância   do intelecto   e ultrapassando sua incorruptibilidade.

4 Aquele que ama alguém, obrigatoriamente também o procura, e, aquele que o procura, luta   também para obtê-lo; e se todo prazer começa pelo desejo, o desejo, ele, nasce da sensação  , pois o que não faz parte da sensação é exempto também de paixão.

5 Contra os anacoretas, os demônios combatem sem armas; mas, contra aqueles que se exercitam na virtude   nos monastérios ou nas comunidades, eles armam os mais negligentes dentre os irmãos. Ora, esta segunda guerra é muito menos pesada que a primeira, porque não é possível achar sobre a terra   homens mais rancorosos que os demônios, ou que possam assumir, por vezes, todas suas malfeitorias.

6 Oito são todos os pensamentos genéricos que compreendem todos os pensamentos: o primeiro é o da gula, depois vem o da fornicação, o terceiro compreende todos os pensamentos é o da avareza  , o quarto é o da tristeza  , o quinto o da cólera  , o sexto da acedia, o sétimo da vanglória  , o oitavo do orgulho. Que todos esses pensamentos perturbam a alma ou não a perturbam, isso não depende de nós  ; mas, que eles acionam as paixões ou não as acionam, isto sim depende de nós.

7 O pensamento da gula sugere ao monge   o fracasso rápido de sua ascese  ; ela lhe representa seu estômago, seu fígado, seu baço, a hidropsia, uma longa doença  , a falta do necessário, e a ausência de médico. Frequentemente também ela lhe faz se lembrar de certos irmãos que caíram nesses males. Algumas vezes incita esses doentes eles-mesmos à se voltarem para aqueles que vivem na abstinência e a lhes contar suas infelicidades, pretendendo que eles se tornem tais quais por causa   da ascese.

8 O demônio da fornicação compele à desejar corpos variados; ataca violentamente os que vivem na abstinência, para que cessem, persuadidos que não chegarão à nada; e, maculando a alma, os incita para atos vergonhosos, lhe faz dizer certas palavras e escutá-las em resposta  , tudo como se o objeto fosse visível   e presente  .

9 A avareza sugere uma longa velhice, a impotência das mãos para o trabalho  , as fomes que se produzirão, as doenças que surgirão, as amarguras da pobreza  , e que vergonha   tem para receber   dos outros o que se tem necessidade  .

10 A tristeza surge às vezes pela frustração dos desejos, às vezes também é uma consequência da cólera. Quando é pela frustração dos desejos, surge assim: certos pensamentos, aparecendo-lhes à frente, levam a alma à se lembrar do lar, dos pais  , e da existência de outrora. E quando veem que, longe de resistir, a alma se põe à segui-los, e que dilata-se interiormente nos prazeres, então apoderam-se dela e a mergulham na tristeza, lhe relembrando que as coisas de outrora não existem mais e não podem mais existir, a partir em diante, por causa da sua vida que é agora; e a infeliz alma, quanto mais tinha se dilatado com os primeiros pensamentos, se abateu e se humilhou mais ainda com os segundos.

  • Evágrio Prática 11-20 - 11-20
  • Evágrio Prática 21-30 - 21-30
  • Evágrio Prática 31-40 - 31-40
  • Evágrio Prática 41-50 - 41-50
  • Evágrio Prática 51-60 - 51-60
  • Evágrio Prática 61-70 - 61-70
  • Evágrio Prática 71-80 - 71-80
  • Evágrio Prática 81-90 - 81-90
  • Evágrio Prática 91-100 - 91-100