Página inicial > Oriente > Renz (F) – Isso-que-és e o fantasma

Renz (F) – Isso-que-és e o fantasma

sexta-feira 9 de setembro de 2022

    

Não podes alcançar Isso que és. É inalcançável. Ninguém jamais possuirá Isso. Mas ainda assim és o Absoluto   possessor. Esse é o paradoxo. És Isso mas não podes jamais possui-lo. Nunca houve quem possuisse Isso. Ou o obtivesse. Conhecimento não pode ser possuido por ninguém. Conhecimento possui tudo, por sê-lo. Mas nunca pode haver um relativo possessor ou uma relativa posse. Até mesmo compreensão é a natureza do conhecimento e o oposto dele mas quem é aí para entendê-lo. A questão é sempre: quem de alguma maneira o necessita? E o que faria com isto? Assim só posso apresentar a desesperança de qualquer tentativa; apresento a contentamento de ações fúteis, e não-ações. O que quer que tenhas feito, estejas fazendo ou farás é fútil. E este vazio   é, é. Nem mesmo precisa ser desfrutado. Assim não precisas contentar-se a si mesmo  , para este contentamento que falo. O silêncio  , o contentamento silencioso. Não um contentamento que depende de alguma compreensão, ou qualquer baboseira de presença   ou ausência. E certamente, posso dizer, que não podes evitar de te realizar a ti mesmo. Tens que te realizar a ti mesmo. Nunca findando. Todo mundo espera que por compreensão alcance-se o fim. Ainda se esperando algo. Se realizar minha verdadeira natureza isto vai terminar para mim  . Não há o que compreender. Pode-se ver isto aqui e agora, no momento seguinte que digo algo: a palavra dita é criada? já não está aí? começou quando a experienciei? é criada por minha experiência ou a experiencio porque já é aí? só posso experienciar o que já é aí? se já é aí, já não é sem experienciá-lo ou não? Algo jamais teve começo de modo que possas verdadeiramente experienciá-lo agora? Não é tua criação, não há criação, já é aí, senão não poderias experienciá-lo. Eis o segredo aberto: de que tudo é aí antes que possa experienciá-lo. Até para que o fantasma possa ser experienciado, o fantasma é tão infinito   quanto ti mesmo. O fantasma já é aí senão não poderias experienciá-lo. O fantasma sempre já será aí, pois conscientidade   [consciousness] é o fantasma. Tua manifestação   é um fantasma mas ele nunca partirá. Nunca foi criado, nunca desaparecerá.


Ver online : KARL RENZ