PhiloSophia

PHILO = Apreço + SOPHIA = Compreensão

Version imprimable de cet article Version imprimable

Accueil > Oriente > Nisargadatta : pensamentos e pensamentos

Nisargadatta : pensamentos e pensamentos

lundi 27 janvier 2020

nossa tradução

Maharaj disse : De fato, há uma grande diferença entre pensamentos e pensamentos. Pensamentos que criam devaneios, ou pensamentos de arrependimento pelos acontecimentos do passado, ou pensamentos de medo, preocupação e antecipação em relação ao futuro são certamente muito diferentes dos pensamentos que surgem espontaneamente das profundezas da psique, o que alguém poderia chamar de pensamentos que não precisam de nenhum argumento e interpretação da mente?. Os primeiros devem ser ignorados e evitados ; os últimos são incapazes de serem ignorados ou evitados, porque são essencialmente espontâneos e imediatos e basicamente não conceituais.

Maharaj continuou : O primeiro pensamento ’eu sou?’ certamente é um pensamento, mas que não precisa de nenhum argumento ou confirmação da mente. De fato, como base de todo pensamento adicional, é o pensamento pré-conceitual - a própria fonte da mente. Viver de acordo com o pensamento indireto ou mediano, em uma mente dividida e dualística, é o que a maioria das pessoas faz porque se identificou com uma pseudo-entidade que se considera o sujeito de toda ação?. Mas o pensamento direto ou absoluto? é o processo pelo qual o não manifesto Absoluto se manifesta. Esse pensamento é espontâneo e instantâneo e, portanto, sem o elemento de duração que é um aspecto da mente dividida. Sempre que há duração, o pensamento deve necessariamente ser um pós-pensamento, interpretado fenomenal e dualisticamente.

Nenhum pensamento intuitivo, espontâneo, não dual, pode surgir, a menos que a tempestade do pensamento conceitual tenha diminuído e a mente repouse em um estado de "jejum" ; e esse pensamento obviamente não pode conhecer a escravidão. O pensamento puro e instantâneo resulta em ação pura, sem qualquer tipo de escravidão, porque nenhuma entidade está envolvida.

Maharaj concluiu sua resposta dizendo que a maioria das religiões era originalmente baseada em pensamentos puros diretos. Com o tempo, degeneraram em conceitos. E sobre esses conceitos foi erguida gradualmente uma enorme estrutura amorfa, encantadora o suficiente para atrair e enganar milhões de pessoas.

Original

Maharaj said : There is indeed a great difference between thoughts and thoughts. Thoughts which form day-dreaming, or thoughts of regret about the events in the past, or thoughts of fear and worry and anticipation regarding the future are surely very much different from the thoughts which spring up spontaneously from the depth of one’s psyche, what one might call thoughts that do not need any argument and interpretation by the mind. The former are to be ignored and avoided ; the latter are incapable of being ignored or avoided, because they are essentially spontaneous and im-mediate and basically non-conceptual.

Maharaj then continued : The very first thought ‘I am’ is surely a thought, but one that does not need any argument or confirmation from the mind. Indeed, as the basis of all further thought, it is the pre-conceptual thought — very source of the mind. Living according to indirect or mediate thought, in a divided, dualistic mind is what most people do because they have identified themselves with a pseudo-entity that considers itself as the subject of all action. But direct or absolute thought is the process by which the Absolute non-manifest manifests itself. Such thought is spontaneous and instantaneous and therefore, without the element of duration which is an aspect of the split mind. Whenever there is duration the thought must necessarily be an after-thought, interpreted phenomenally and dualistically.

No spontaneous, non-dual, intuitive thought can arise unless the storm of conceptual thinking has subsided and the mind rests in a ‘fasting’ state ; and such thought obviously cannot know bondage. Instantaneous, pure thought results in pure action without any tinge of bondage, because no entity is involved.

Maharaj concluded his reply by saying that most religions were originally based on direct pure thoughts. In course of time they degenerated into concepts. And on these concepts has been erected gradually an enormous amorphous structure, made enchanting enough to attract and mislead millions of people.


Voir en ligne : Pointers from Nisargadatta