Página inicial > Arte e Simbolismo > Dauge Símbolo Ontologia

Dauge Símbolo Ontologia

domingo 20 de março de 2022

    

Símbolo e níveis ontológicos
O símbolo toma sua origem   na hierarquia dos planos do ser e resulta do princípio da interdependência universal  .

Pode-se dizer que o real   é constituído por uma imensa hierarquia de planos diferentes, de níveis de ser múltiplos, que se distinguem por suas proporções respectivas do “espírito  ” e da “matéria”, ou melhor por sua “frequência vibratória”. No universo  , nada é absolutamente material , nada é absolutamente imaterial, mas tudo é vibrações. Segundo a fórmula hermética bem conhecida: «Nada repousa; tudo remexe; tudo vibra». Assim “espírito  ” e “matéria” representam ao mesmo tempo   dois   polos complementares e duas correntes energéticas. O homem  , que é um “microcosmo”, participa de todos os planos ontológicos, pelo menos virtualmente, e ele tem a faculdade de todos recapitulá-los nele. Cada um destes planos tem sua realidade própria, sua essência   e sua substância, suas modalidades particulares de expressão  ; até onde se pode discernir, até onde há níveis de interpretação   do real. Notemos que entre eles não há patamares invariáveis, demarcações nítidas: eles passam uns para os outros e se interpenetram. Mas é indispensável defini-los tão nitidamente quanto possível, para que este conhecimento seja um instrumento eficaz e permita sobretudo distinguir   o domínio   onde se afirmam as Energias divinas daquele onde predominam as forças psico-somáticas.

O ser humano, assim como o quadro cósmico   onde ele evolui, é constituído de três esferas energéticas principais, aquela do Espírito, aquela da Alma   essencial, e aquela do Coração   encarnado. A esfera   do Espírito comporta quatro graus fundamentais, segundo os quais se propagam a Vida e a Luz do Alto. A Alma essencial é um poder mediador  , uma espécie de cadinho onde se “corporalizam” os espíritos e se “espiritualizam” os corpos. Quanto à última esfera, ela compreende um “corpo” (sobre dois planos) e uma “psique” ou alma inferior   (sobre dois planos igualmente) que servem de envelopes ou de meio de ação para um Coração, projeção   involuída da Consciência   divina e princípio do retorno para oSi.

Isto posto, eis um quadro hierárquico de alguns níveis ontológicos necessários a uma boa compreensão do simbolismo: ele se lerá de baixo para cima, depois se tomará um conhecimento global, pensando em sua aplicação ao macrocosmo (Natureza, Criação) como ao microcosmo, e em sabendo que há ainda muitos outros níveis de ser além.


Escala dos planos Perspectivas em relação   ao "consciente" Fases do deciframento do símbolo
"Salto transpessoal" Em direção   ao transconscinete (ou Consciência incondicionada)
I. Esfera do Espírito
10. Plano espiritual da "glória  " divina: Espírito de espelho  
Supra-consciente: consciência de Si (assimilação  ) Visão   dos reflexos do Divino  , das Vibrações incriadas
9. Plano espiritual da "Sinergia": Espírito de Sabedoria   e de Harmonia  -Hierarquia Supra-consciente: consciência do Si (cooperação) Introdução à Criação/Formação, à Ideia-Força
8. Plano supra-mental   do "Agape  ": Espírito de Amor-Comunhão e de Liberdade Sobre-consciente: consciência "mística" (participação  ) Introdução ao Movimento  , à Vida
7. Plano supramental do "Logos  ": Espírito de Conhecimento da Lei cósmica Sobre-consciente (Intuição  ): consciência "cósmica" (percepção) Introdução ao Número  , à Estrutura  , às Relações
II. Esfera da Alma essencial
6. Plano sobre-mental da Alma mediadora
Consciente desperto   Leitura "aberta", compreensão da circulação do sentido
III. Esfera do Coração encarnado
5. Plano do Coração. Fogo   divino involuído e princípio-gérmen da "glória" espiritual
Consciente em despertar Dinamismo ascendente do símbolo
4. Plano da psique mental, da alma inteligente, do "mental concreto" Consciente claro-escuro e subconsciente Leitura mental (erudição)
3. Plano da psique afetiva, da alma sensitiva, do "desejo" Consciente claro-escuro e subconsciente Leitura afetiva (sensibilidade)
2. Plano físico sutil (corpo vital) Consciente "corporalizado" e inconsciente Aura do símbolo
1. Plano físico denso (corpo material) Consciente elementar, ou "coagulado", e inconsciente Suporte do símbolo