Página inicial > Antiguidade > Lilla Clemente Etica

Lilla Clemente Etica

domingo 20 de março de 2022

    

Ética
Alguns acadêmicos tanto do último como do atua século estudaram a visão   ética de Clemente, e tentaram seja dar um esboço delas ou acentuar sua dependência do Estoicismo   ou apontar seu caráter cristão, que segundo eles permanece incorrupto mesmo se a linguagem usada é algumas vezes tomada à filosofia grega.

Necessário exame   das relações entre o pensamento   ético de Clemente e o de Philon   - Filon, do Médio  -Platonismo e do Neoplatonismo.

Estas fortes influências direcionaram a estrutura   geral do sistema ético de Clemente e seu clímax — o ideal da apatheia   e da homoiosis   theo ("à semelhança de Deus  ").

Questões a serem examinadas:

  • A doutrina da virtude   em geral
  • As quatro virtudes cardeais e suas relações com as diferentes partes da alma  
  • A doutrina do pathos
  • O estágio ético inferior  : a ética da metriopatheia em conexão com a máxima "viver   de acordo   com a natureza"
  • O estágio ético superior: a ética da apatheia e o retrato do cristão perfeito ou gnsotike - gnostikos
  • homoiosis theo ("à semelhança de Deus")

Alguns elementos   muito próprios de Clemente também merecem ser reconhecidos, encontrando resposta   as seguintes questões:

  • há qualquer relação   entre o papel que Cristo   desempenha na ética de Clemente e no ideal ético de Philon e do Plotinus   - Neoplatonismo?
  • pode o papel de Cristo na ética ser visto como a contrapartida exata da função que Ele desempenha no lado teórico da gnosis? Se sim, não estamos já introduzidos na atmosfera da gnosis?

Encontram-se duas definições de virtude em duas passagens do Clemente de Alexandria   Pedagogo - Pedagogo:

  • "A virtude em si mesma, com efeito, é uma disposição   da alma que se ajusta à razão, ao longo de toda a vida." (I.101.2)
  • "Segundo parece, esquecemos que é só é rico quem possui as coisas de mais elevado preço: e as de mais elevado preço não são as pedras preciosas, nem o dinheiro, nem as vestimentas, nem a beleza corporal, senão a virtude, que é o Logos   transmitido pelo Pedagogo para que o ponhamos em prática. Este Logos é quem repudia o luxo, quem exorta — como servidor — ao trabalho   pessoal, e quem celebra a moderada frugalidade, filha da temperança. (III.35.2)