PhiloSophia

PHILO = Apreço + SOPHIA = Compreensão

Version imprimable de cet article Version imprimable

Accueil > Oriente > Renz : Tat tvam asi - Isso que é

Renz : Tat tvam asi - Isso que é

jeudi 20 juin 2019

Nossa tradução

Q : Às vezes se fala? sobre o conhecedor do conhecedor ...

K : Não? se consegue encontrar ninguém aí. Isso que é [Tat tvam asi?], esse? Conhecimento? está se realizando como um? conhecedor. Mas não se pode colocar qualquer conhecedor no Conhecimento. Isso é impossível?. A Realidade? está se realizando como um realizador. Mas você não pode colocar qualquer realizador na Realidade. Não há Si-mesmo em Si-mesmo. Como pode haver um Si-mesmo no Si-mesmo ? O Si-mesmo não conhece nenhum Si-mesmo.

P : É um Si-mesmo impessoal? ?

K : Não existe um Si-mesmo pessoal nem um Si-mesmo impessoal. É só uma palavra?, vamos lá ! Chame isso de Conhecimento — Conhecimento percebendo a si próprio? como o conhecedor, conhecendo o que pode ser? conhecido. Mas o Conhecimento não é o conhecedor, não é o conhecer e não o que pode ser conhecido. É Isso que é se realizando e a realização da Realidade não é diferente. Tu és Isso. És o coração? do conhecedor, o coração do conhecer e o coração do que é conhecido, és Isso que é. E não podes escapar disso. És o amante, o amar e o amado, e daí ? É besteira, sim. Mas você não pode existir? de outra forma? porque existe "um" existente a experimentando existência?. Um vidente vendo o que pode ser visto. Um possuidor possuindo o que pode ser possuído. É tudo a mesma coisa?, sempre esta trindade?. O pai, o espírito? e o filho.

O que Jesus disse ? Não sou o pai, não sou o espírito e não sou o filho. Sou isso que é o pai, sou isso que é o espírito e sou isso que é o filho, mas não sou o pai e não sou o espírito e não sou o filho. Mas em natureza? não há diferença?. Mas ele não é o pai que é Consciência? [Awareness], ele não é o espírito que é Eu Sou? [I Amness] e ele não é o que dIsso surge, não é Adão, não é Eva. Não se pode dividir Isso, mas não é como parece. Não é o fenomênico? ; é o númeno? que aparece como fenomênico, como "mim-mesmo". Mas nunca se torna o fenomênico. Você nunca se tornou o "mim-mesmo", você nunca se tornou o "conhecedor". Você experimenta um conhecedor, mas o que experimenta a si mesmo como um conhecedor nunca pode ser experimentado. Não há nada? pessoal nem impessoal. Você não pode nomeá-lo, você não pode atribuir nenhum atributo? a Isso que você é.

Original

Q : Sometimes they talk about the knower of the knower...

K : You cannot find anyone there. That what is that Knowledge is realizing itself as a knower. But you cannot put any knower in Knowledge. That’s impossible. Reality is realizing itself as a realizer. But you cannot put any realizer in Reality. There’s no Self in Self. How can there be a Self in the Self ? The Self doesn’t know any Self.

Q : Is it an impersonal Self ?

K : There’s neither a personal nor an impersonal Self. It’s just a word, come on? ! Call it Knowledge – Knowledge realizing itself as the knower, knowing what can be known. But Knowledge is not the knower, not the knowing and not what can be known. It is that what is realizing itself and the realization of Reality is not different. You are That. You are the heart of the knower, the heart of the knowing and heart of what is known, you are that what is. And you cannot get out of that. You are the lover, the loving and the beloved, so what ? It’s bullshit, yes. But you cannot otherwise exist because in existing there’s ‘one’ existing, experiencing existing. A seer seeing what can be seen. An owner owning what can be owned. It’s all the same, always this trinity. The father, the spirit and the son.

What did Jesus say ? I’m not the father, I’m not the spirit and I’m not the son. I’m that what is the father, I’m that what is the spirit and I’m that what is the son but I’m not the father and I’m not the spirit and I’m not the son. But in nature there’s no difference. But he’s not the father which is Awareness, he’s not the spirit which is I Amness and he’s not what comes out of it, it’s not Adam, it’s not Eve. You cannot divide it but it is not as it appears. It’s not the phenomenal ; it’s the noumenon which appears as phenomenal as ‘me’. But it never becomes the phenomenal. You never became the ‘me’, you never became the ‘knower’. You experience a knower but that what experiences itself as a knower can never be experienced. There’s nothing personal nor impersonal. You cannot name it, you cannot give any attribute to that what you are.


Voir en ligne : BLISSTEARS