Página inicial > Medievo - Renascença > Abade Poimem 11

Abade Poimem 11

domingo 20 de março de 2022

Tradução do grego de D. Estevão Bettencourt O.S.B.

111. Um irmão pediu ao Abade Poimém: «Dize-me uma palavra». Este respondeu: «Enquanto a panela é aquecida por fogo de baixo, nem uma mosca ou algum dos outros insetos voadores a pode tocar; logo, porém, que esteja fria, estes se pousam sobre ela. Assim também o monge; enquanto se entrega aos atos da vida espiritual, o inimigo não encontra como abatê-lo».

112. O Abade José referia o seguinte dito do Abade Poimém: «A palavra do Evangelho: ‘Quem tem uma túnica, venda-a, e compre uma espada’ (Lc 22,36) significa que quem goza de bem-estar, o deve abandonar e assumir a via estreita».

113. Alguns dos Padres perguntaram ao Abade Poimém: «Se virmos um irmão pecando, queres que o repreendamos?» Respondeu-lhes o ancião: «Em verdade, se eu tiver necessidade de andar por aqueles lugares e o vir pecando, passarei adiante e não o repreenderei».

114. Disse o Abade Poimém: «Está escrito: ‘Das coisas que tiver visto o teu olho, dá testemunho’ (Pr 25,8). Eu, porém, vos digo: ainda que apalpeis com as vossas mãos, não deis testemunho. Com efeito, um irmão padeceu ilusão desta forma: julgou ver o seu irmão pecando com uma mulher; ora, depois de sofrer grave tentação por isto, aproximou-se e deu um pontapé naquilo que julgava ser os dois delinquentes; dizia: ‘Deixai disso agora; até quando estareis assim?’ Eis então notou que eram molhos de espigas de trigo. Por isso vos digo: ainda que toqueis com as mãos, não censureis».

115. Um irmão perguntou ao Abade Poimém: «Que hei de fazer, pois sou tentado à fornicação e à ira?» Respondeu o ancião: «Por isso é que disse Davi: ‘O leão, eu o golpeava; o urso, eu o sufocava’ (1Rs 17,35). O que quer dizer: a ira, eu a amputava; a fornicação, eu a oprimia em labutas».

116. Disse mais: «Não se pode encontrar maior caridade do que a que entrega a vida pelo próximo. Se alguém ouve uma palavra má, isto é, dura, e, podendo responder outra semelhante, luta para não responder, ou se alguém é defraudado e o suporta sem se vingar, tal indivíduo está dando a vida paio próximo».

117. Um irmão perguntou ao Abade Poimém: «Que é um hipócrita?» O ancião respondeu: «Hipócrita é aquele que ensina ao próximo algo que ele mesmo não chega a praticar. Com efeito, está escrito: ‘Por que consideras o cisco no olho de teu irmão, quando há uma trave em teu olho?’ e o que se segue (Mt 7,3s).

118. Um irmão perguntou ao Abade Poimém: «Que significa irar-se sem motivo contra o irmão?» O ancião respondeu: «Se teu irmão cometer uma fraude, qualquer que seja, contra ti, e te ampute a mão direita, se te irares contra ele, irar-te-ás temerariamente. Se, porém, te quiser separar de Deus, então deves irar-te».

119. Um irmão perguntou ao Abade Poimém« «Que hei de fazer contra os meus pecados?»

Respondeu o ancião: «Aquele que quer resgatar os seus pecados, resgata-os com o pranto; e aquele que quer adquirir virtudes, adquire-as com o pranto. Com efeito, prantear é a via que nos ensinaram a Escritura e os nossos Pais, dizendo: ‘Chorai’ (1). Outra via não há senão esta».

120. Um irmão perguntou ao Abade Poimém: «Que é compunção do pecado?» Respondeu o ancião: «É para o futuro não mais cometer o pecado. Com efeito, os justos foram chamados imaculados porque abandonaram os pecados e se tornaram justos».