Página inicial > Arte e Simbolismo > Teodoro de Edessa Contemplação

Teodoro de Edessa Contemplação

domingo 20 de março de 2022

      

Que maior combate   (agon) do que aquele de romper esta inflexível ligação, nos liberar do culto da matéria e adquirir o estado   de beleza (kallos  )? Para fugir   da matéria (hyle  ) a alma   deve ser verdadeiramente nobre e corajosa. Mas não deve se apegar apenas a se purificar das paixões, que em si não é a virtude  , mas que aí se prepara. Para nos purificar do estado de malícia   (kakia), nos é necessário adquirir as virtudes. A purificação (katharsis  ) da alma, na ordem da razão   (logistikon  ), é a libertação e o perfeito desaparecimento dos caracteres inferiores e enganadores, quero dizer, como o afirma Symeon   Novo Teologo - o Teólogo, das preocupações e dos problemas desta vida, das tendências defeituosas ou das noções impróprias. Na ordem do desejo (epithymia  ), purificar a alma, é não tender para a matéria, não considerar os sentidos, mas ser dócil à razão. Na ordem do ardor (thymikon), enfim, purificar a alma, é não ser perturbado pelo que acontece. Depois desta purificação, quando os poderes da infâmia estão mortos ou relegados, deve-se alcançar a elevação e a deificação (theosis  ). Deve-se afastar do mal (kakon) e fazer o bem (agathon  ). renunciando a si mesmo   então, deve-se seguir o mestre portando a cruz  , para alcançar o estado extremo da deificação (theosis).

Mas o que é a elevação e a deificação? Na ordem da inteligência, é a ciência mais realizada dos seres e dAquele que está além dos seres, na medida que é possível à natureza humana. Na ordem da vontade, é a tensão total e contínua, o movimento   para a beleza primeira. Na ordem do ardor (thymikon), é a impulsão mais forte   e mais ativa, firme e perseverante, para o que se deseja. Nada do que acontece, tão aflitivo seja, não pode contê-la em sua marcha adiante, mas ela segue seu caminho, transbordante e sem retorno. A impulsão da alma para a beleza deve ser mais forte que sua tendência para o inferior, tanto mais quanto a beleza inteligível supera sobre a beleza sensível  . E o retorno à carne   deve ser tal que lhe é suficiente vigiar   e prover o necessário, a fim de que o que vive não seja obrigatoriamente destruído. É fácil conceber a ação reta, mas é difícil realizá-la. Pois não é sem fadiga   que se desenraíza da alma estes estados peníveis a mudar  , nem sem suor que se adquire a ciência. Para ter o olhar fixo sobre a natureza bem-aventurada, para tender para ela até que a vontade possua o fruto   de tal impulsão, é necessário muitas penitências e muito tempo  . A inteligência deve com toda sua força resistir aos sentidos, que a dragam para baixo. E é o enfrentamento, o combate com o corpo, que só finda com a morte, mesmo se parece se apaziguar quando a ciência da inteligência, as superando, dobrou o ardor e o desejo e sujeitou os sentidos. É preciso notar que a alma que não foi esclarecida, desde que recebeu o socorro de Deus  , não pode nem se purificar verdadeiramente, nem se elevar para a luz divina, como foi dito. Deve-se, com efeito, considerar que o que foi dito o foi para os fiéis.

  • Teodoro de Edessa Conhecimento - CONHECIMENTO

Ver online : Philokalia