Página inicial > Oriente > Wei Wu Wei (OS:48) – A mente de quem?

Wei Wu Wei (OS:48) – A mente de quem?

quarta-feira 31 de agosto de 2022

    

tradução

DA PRÓXIMA VEZ que ouvirmos alguém falando sobre a mente   “dele” ou “sua”, perguntemos quem poderia possuir tal artigo! Huang Po  , no século IX na China, e Sri Ramana Maharshi   onze séculos depois, ambos responderam com as mesmas palavras, em suas respectivas línguas, a um visitante que produziu tal noção  : suas palavras, irônicas e cheias de humor, eram apenas isto: “Quantas mentes você tem?”

Na caverna   de Tun Huang foi encontrado um MS de vários ditos de Bodhidharma   registrados por seus discípulos. Um deles é o seguinte: “O que é a mente   búdica?” e a resposta   de Bodhidharma: “É sua (única) mente. Quando você o percebe subjetivamente, pode ser chamado de Talidade   [Suchness]. Quando você percebe sua imutabilidade, pode ser chamado de Dharmakaya. Não é qualquer coisa, por isso pode ser chamado de Liberação  . Seu funcionamento   é imperceptível, não perturbado por nenhum objeto, por isso pode ser chamado de Tao   puro. Nunca nasceu, nunca pode morrer  , então pode ser equiparado ao Nirvana  .” Não é “sua” mente, é claro: “você” – tudo o que você poderia ser – é o que é.

Quem quer que tenha sido Bodhidharma – além de um monge   da seita   Lanka, onde quer que tenha “vivido”, ou mesmo que não tenha, as palavras atribuídas a ele não são claramente a revelação essencial?

Nota: Estamos todos incessantemente familiarizados com sua reflexão objetivada na vida fenomênica, mas sua natureza não objetiva é wu-nien  , que nunca pode ser objetivada como conscientidade  .

Original

NEXT TIME we hear someone talking about “his” mind or “yours,” let us ask who there could possibly be to possess such an article! Huang Po, in the ninth century in China, and Sri Ramana Maharshi eleven centuries later, both replied in the same words, in their respective languages, to a visitor who produced such a notion: their words, ironical and full of humour, were just this: “How many minds have you?”

In the Tun Huang Cave there was found a MS of a number of sayings of Bodhidharma recorded by his disciples. One of them runs as follows: “What is the Buddhamind?” and Bodhidharma’s reply, “It is your (only) mind. When you apperceive it subjectively it can be called Suchness. When you apperceive its immutability it can be called Dharmakaya. It is not any thing, so it may be called Liberation. Its functioning is imperceptible, undisturbed by any object, so it may be called pure Tao. Never born, it can never die, so it may be equated with Nirvana.” It is not “your” mind, of course: “you”—all you could be—are what it is.

Whoever Bodhidharma may have been—other than a monk of the Lanka sect, wherever he may have “lived,” or even if he did not, are not the words attributed to him clearly the essential revelation?

Note: We are all incessantly familiar with its objectified reflection in phenomenal life, but its non-objective nature is wu-nien, which can never be objectivised as consciousness.


Ver online : Wei Wu Wei – Open Secret