Página inicial > Medievo - Renascença > Erígena (HPJ): No Princípio...

Erígena (HPJ): No Princípio...

domingo 31 de julho de 2022

    

"No princípio era o Verbo  ", ele escreve.

Aqui devemos notar que a significação que o santo Evangelista dá a sua expressão   "era" não é temporal mas substancial. Posto que o verbo "ser", do qual derivamos por conjugação irregular o imperfeito "era", contém um duplo sentido. Algumas vezes significa subsistência, sem movimento   temporal, do que seja predicado, caso no qual é chamado "verbo substancial". Outras vezes, entretanto, indica como outros verbos um movimento temporal. Logo, quando o Evangelista afirma que "No princípio era o Verbo", é como se estivesse dizendo abertamente, "No Pai   subsiste o Filho". Que pessoa  , de fato, de mente   sã diria que o Filho a qualquer tempo   subsiste temporariamente no Pai? Pois apenas onde a eternidade é conhecida pode a verdade   imutável   ser compreendida.

E com receio de que alguém pense que o Verbo subsiste no princípio sem diferença   substancial, o Evangelista imediatamente adiciona, "E o Verbo estava (era) com Deus  ". Ou seja, "O Filho subsiste com o Pai em unidade   de essência   e distinção de substância.

E novamente, com receio de que um contágio venenoso infecte qualquer um — tal como: o Verbo está apenas no Pai e com Deus, mas não subsiste substancialmente e co-essencialmente como Deus com o Pai — erro   que caíram os Arianos sem fé — o Evangelista imediatamente adiciona, "E o Verbo era Deus".

Igualmente, sabendo que não faltariam aqueles que reivindicariam que ele não se referia ao único e mesmo Verbo quando dizia "No princípio era o Verbo" e "o Verbo era Deus", e assegurariam que o "Verbo no princípio" e "O Verbo era Deus" são diferentes — a fim de destruir esta visão   herética — o Evangelista adita em seguida, "Ele estava no princípio com Deus".

Isso quer dizer: o Verbo, que Deus é com Deus, não é outro do que Ele que estava no Princípio.

Isto pode ser apreendido mais significativamente nas versões gregas do Evangelho. Nestas, se diz autos  , ou seja, "o mesmo", que pode se referir seja a Deus seja ao Verbo — pois estes dois   termos, Theos   e Logos   (Deus e Verbo) são masculinos em grego, assim como é autos também. E portanto a proposição "e o Verbo era Deus; Ele estava no princípio com Deus" pode ser compreendida como afirmação   mais clara do que se tivesse dito abertamente "Este Deus-Verbo, que é com Deus, é o mesmo de quem disse, "No princípio era o Verbo".


Ver online : HOMILIA SOBRE O PRÓLOGO DE JOÃO