Página inicial > Oriente > Nisargadatta (S) – Seja!

Nisargadatta (S) – Seja!

sexta-feira 9 de setembro de 2022

    

No excerto   logoa abaixo, traduzidos de outro livro de diálogos com Nisargadatta  , «SOIS», se evidencia da melhor forma seu trabalho   sobre o «EU SOU  » e o «EU SOU ISSO». Apesar da já consagrada tradução brasileira de Nisragadatta, seria preferível traduzir «I AM» e «I AM THAT» por «SOU» e «SOU ISSO» por dois   motivos: primeiro não temos a obrigatoriedade em nossa língua do pronome junto ao verbo como em inglês, e até em francês; segundo porque evidencia melhor um ato inconsciente no ser humano   de «fazer eu» [ahamkara  ], estabelecendo a ilusão   de que «sou», e até que «sou algo». Este ato é muito bem explicado na noção   de ahamkara.

«Sou» significa unicamente o conjunto   da manifestação   e não o complexo   psicossomático «corpo-ideias» que leva teu nome. Rejeita a identificação ao «corpo-ideias» e estabiliza-te simplesmente na tomada de consciência   «sou» sem especificação. Esta é a etapa inicial.
 
O real significa o estado   último e o primeiro. É o estado mais antigo, primordial, eterno, absoluto. Por sobre este apareceu o estado ilusório como um revestimento, como uma nuvem, como uma mancha. É a esta aparição que está ligada a constatação «sou», seus eventos, sua constante necessidade   de ir e vir. Este estado ilusório aparecendo, deve necessariamente desaparecer pois está ligado ao tempo, mas somos emocionalmente apegados a este estado. Emocionalmente significa a convicção   de ser «sou». Logo, para que se dissipe este estado ilusório, ligado ao tempo, é necessário transcender este conhecimento emocional «sou». Enquanto esta nuvem não é dissipada o estado primordial não aparecerá. O estado primordial não é a conquistar, já está aí, é necessário simplesmente eliminar o que faz obstáculo  .
 
Repito: sentes, experimentas «sou». Mas este estado «sou» deve ser evacuado, deve desaparecer. Então somente o estado primordial se revelará pois é sobre ele que se formou este estado ilusório. Nem tu, nem eu, nascemos. O princípio que nasceu compreende somente três estados: estado de vigília, estado de sono profundo, e conhecimento «sou».

Ver online : Nisargadatta Maharaj