Página inicial > Oriente > Lucille (PS) – Ação

Lucille (PS) – Ação

domingo 11 de setembro de 2022

    

tradução

A conscientidade   [consciousness] acolhe a totalidade   da situação  . Por “totalidade da situação” queremos dizer todos os elementos   que compõem a situação dada, incluindo suas próprias reações. Deste acolhimento   imparcial, em resposta   às circunstâncias  , surge a compreensão que pode ou não levar à ação. A ação que flui da totalidade da situação é ação correta e sempre será benéfica, mesmo que, a curto prazo, possa não parecer eficaz. A ação que vem de um fragmento da totalidade, de uma entidade separada, perpetuará sutilmente o sofrimento   que está tentando aliviar, mesmo que pareça benéfico   a curto prazo, porque ela mesma é a causa   raiz desse sofrimento. O corpo está envolvido no mundo e, embora a testemunha não participe da ação, o corpo participa. Mesmo a não-ação é uma forma de ação. A covardia, por exemplo, é uma forma de ação. Esta é a lição   que Krishna   ensina a Arjuna no Bhagavad Gita. Como o Eu   somos a testemunha, mas como corpo, já estamos envolvidos. Então, apenas faça o seu dharma  , faça o que é certo, faça o que flui das circunstâncias. (Perfume do Silêncio  )

Original

Consciousness welcomes the totality of the situation. By “the totality of the situation” we mean all the elements that comprise the given situation, including your own reactions. Out of this impartial welcoming, in response to the circumstances, understanding arises that may or may not lead to action. Action that flows from the totality of the situation is right action and will always be beneficial even if, in the short term, it may not appear to be effective. Action that comes from a fragment of the totality, from a separate entity, will subtly perpetuate the suffering it is trying to relieve, even if it appears beneficial in the short term, because it is itself the root cause of that suffering. The body is involved in the world and although the witness doesn’t participate in action, the body does. Even non-action is a form of action. Cowardice, for instance, is a form of action. That is the lesson that Krishna teaches Arjuna in the Bhagavad Gita. As the Self we are the witness, but as the body, we are already involved. So just do your dharma, do what’s right, do what flows from the circumstances. (Perfume of Silence)


Ver online : FRANCIS LUCILLE