Página inicial > Oriente > Balsekar (YHTM) – Tudo que se diz é conceito

Balsekar (YHTM) – Tudo que se diz é conceito

sexta-feira 9 de setembro de 2022

    

tradução resumida

Tudo que se diz é conceito. O que quer que um sábio   diga a qualquer tempo é um conceito. O que qualquer escritura de qualquer religião tenha dito é um conceito. Que Deus   é um conceito e que não há Deus são conceitos. A única coisa que não é um conceito é o que ninguém pode negar — que existe — Eu Sou  , Eu Existo. Impessoalmente há existência. Pessoalmente não há existência.


Aí está a artimanha porque o sentido de existência assim que é capturado é um «mim   mesmo» de novo. Assim se vê que «Eu Sou» é sempre o Momento Presente  . O Eu Sou é o Momento Presente. No Eu Sou não há necessidade   de ninguém dizer, «Eu Sou» — porque não há ninguém que diz, «eu não sou». Eis porque é uma Conscientidade   impessoal. Eu Sou é Conscientidade consciente de Si Mesma... Então qual é a Fonte   do Eu Sou? Conscientidade não consciente de Si Mesma. Assim a Conscientidade não consciente de Si Mesma se torna consciente de Si Mesma como Eu Sou.

Original

You must have heard me say it one hundred times: whatever I say is a concept. Whatever any sage has said at any time is a concept. Whatever any scripture of any religion has said is a concept. That God is a concept and that there is no God are concepts. The only thing which is not a concept is that which no one can deny—that he exists—I Am, I Exist. Impersonally there is existence. Personally there is no existence.


Philippe Yeah. That’s tricky because that sense   of existence as soon as it is captured, is a “me” again.

Ramesh Sure. So you see, that I Am is always the Present Moment. The I Am is the Present Moment. In the I Am there is no need for any one to say “I Am”—because there is no one who says “I’m not.” You see? That is why it is impersonal Awareness. It is impersonal Consciousness.

So when a body — mind   organism wakes up in the morning, at that split — second of waking up there is this impersonal existence. Almost immediately Philippe comes on: “I’m Philippe!”—and the day begins, life begins, and the problems begin.

Jay There is a question about what Nisargadatta   Maharaj meant when he was talking about beyond I Am That. I Am is just the arising of the thought I Am. That’s correct?

Ramesh What is the source of I Am? I Am is Consciousness aware of Itself.

Jay But was he talking about something beyond Consciousness, or is it just a matter of using different words?

Ramesh Yes. Consciousness being aware of Itself is I Am. Then what is the Source of I Am? Consciousness not aware of Itself. So Consciousness not aware of Itself becomes aware of Itself as I Am.


Ver online : Ramesh Balsekar