Página inicial > Medievo - Renascença > Eckhart: Sermão 1 — INTRAVIT IESUS IN TEMPLUM (...)

Eckhart: Sermão 1 — INTRAVIT IESUS IN TEMPLUM (...)

quinta-feira 28 de julho de 2022

    
Intravit Iesus in templum et coepit ejicere vendentes et ementes. Matthei.

§1

Leemos en el santo Evangelio ( Mateo 21, 12 ) que Nuestro Señor entró en el templo   y echó fuera a quienes compraban y vendían, y a los otros que ofrecían en venta palomas y otras cosas por el estilo, les dijo: «¡Quitad esto de aquí, sacadlo!» ( Juan 2, 16 ). ¿Por qué echó Jesús   a los que compraban y vendían, y a los que ofrecían palomas, les mandó que las sacaran? Quiso significar tan sólo que quería tener vacío el templo, exactamente como si hubiera dicho: Tengo derecho a este templo y quiero estar solo en él y tener poder sobre él. Esto ¿qué quiere decir? Este templo donde Dios quiere reinar poderosamente según su voluntad, es el alma   del hombre que Él ha formado y creado exactamente a su semejanza, según leemos que dijo Nuestro Señor: «¡Hagamos al hombre a Nuestra imagen y semejanza!» ( Génesis 1, 26 ). Y así lo hizo también. Ha hecho el alma del hombre tan semejante a sí mismo que ni en el cielo ni en la tierra, por entre todas las criaturas espléndidas, creadas tan maravillosamente por Dios, no hay ninguna que se le asemeje tanto como el alma humana sola. Por ello, Dios quiere tener vacío este templo de modo que no haya nada adentro fuera de Él mismo. Es así porque este templo le gusta tanto ya que se le asemeja de veras, y Él mismo está muy a gusto en este templo siempre y cuando se encuentre ahí a solas.

Ancelet

Data desconhecida do sermão.

Se dirige às pessoas de bem, aquelas que realizam os deveres ordinários do cristão, com propósito de chamá-las para uma dignidade   mais elevada. Como Cristo expulsa os vendedores do Templo (Purificação do Templo), a alma deve expulsar todo o criado para que Deus   estabeleça nela sua morada.

Trata das relações íntimas da alma com Deus. Jesus se recebe a todo tempo   e fora do tempo de seu Pai   celeste, para refluir sem cessar a ele. Da mesma forma o homem   liberado das obras e das "imagens", quer dizer das representações intelectuais, recebe na intemporabilidade o dom divino   e o faz nascer por sua vez em Nosso Senhor Jesus Cristo.

Alta nobreza da alma criada à imagem de Deus conforme o Gênesis.

  • Limite da semelhança   entre a alma e Deus: a alma é criada enquanto Deus é incriado.

Eckhart   tenta fazer compreender o que as palavras humanas não poderiam plenamente exprimir: "Quando a alma chega à luz sem mistura, ela penetra em seu nada, tão longe neste nada de seu algo de criado que ela não pode absolutamente   retornar por sua própria força em seu algo de criado". É preciso que Deus a reconduza aí.

  • A alma sai de seu estado   normal para penetrar na "luz sem mistura", quer dizer a natureza inefável de Deus, a Deidade, e não pode retornar senão sustentada pelo Deus incriado. Entendemos bem que este "nada" do qual Eckhart aqui fala não deve ser interpretado no mesmo sentido que o "nada" de todo criado. O contexto nos mostra que este "Nada" é o "algo" na alma que o mestre não costuma assim designar. Os termos são mesmo invertidos: a alma penetra em seu "nada" (nihtes niht), nada de nada, em seu "fundo" onde ela se une ao "fundo" divino. Ela correu o risco de se extinguir em Deus e é preciso que o Deus incriado a reconduza em seu "algo" (ihtes iht) de criado. Esta passagem trata portanto da identidade do "fundo"da alma e do "fundo de Deus.

Relações da alma com o Pai e o Filho. Jesus fala na alma, ou melhor é o Pai que aí imprime seu Verbo   lhe dando sua natureza. Ao mesmo tempo que ele mesmo, o pai exprime todas as coisas criadas segundo suas "imagens", sobretudo aquelas dos espíritos dotados de inteligência  . Esta palavra "imagens" tem um sentido diferente daquele que o predicador lhe deu acima: trata-se aqui da forma que as coisas criadas têm de toda eternidade no intelecto do Criador. Na medida onde elas permanecem "no interior  " de Deus, estas imagens são indistintas, mas desde que elas são expressas na criação, elas não são mais idênticas ao Verbo, tendo adquirido seu ser próprio  ; no entanto, pelas podem obter pela graça   uma similitude com o Verbo. Jesus fala na alma e revela o Pai com uma sabedoria   e uma doçura infinitas. Esta união   do verbo com a alma dissipa nela as trevas. Mais nada, nem alegria   nem sofrimento  , podem perturbá-la e ela progride em todas as virtudes.

"Então o Homem Exterior obedece ao Homem Interior até sua morte e está então em todo tempo em uma paz   constante no serviço de Deus" (frase retida nos primeiros dois   atos de acusação   de Colônia).


PARÁGRAFOS: §2; §3; §4; §5; §6; §7; §8

Ver online : MAESTRO ECKHART - TRATADOS Y SERMONES