Página inicial > Antiguidade > Como Platão fala de seus próprios mitos?

Como Platão fala de seus próprios mitos?

sexta-feira 25 de março de 2022

    
Como...
Textos referências
Afabulação próxima da mentira  
A República   II, 377a: contar um mito  , «é dizer algo de falso, mesmo se dentro há também verdade».
A República II, 377d: «estes falsos mitos» + Sofista  , 242cd; Filebo  , 14a; Fedro  , 613...
Divertição (jogo  , fábula para crianças, conto de velha mulher  )
O Político  , 268e: «misturando um pouco de divertimento em nossa caminhada», «escuta meu mito, como fazem as crianças»...
Górgias  , 527a: «um conto de velha mulher» (mythos graos).
Descontração
Protágoras  , 320: «o mito será mais agradável».
Subterfúgio pedagógico
A República VII, 514c: «imagina..., represente...»
Palavra sagrada vinda do fundo dos tempos
Fedro, 274d: «a verdade, são os Anciões que sabem».
+ Timeu  , [:Critias]]
Crença moralmente eficaz
Menon, 86b-c: a reminiscência permite «se tornar melhor, mais enérgico, menos preguiçoso...»
Ideia paroximativa mas satisfatória
Fedro 246a: «para dar uma ideia aproximativa, pode-se contentar de uma ciência humana...»
Hipótese representativa fictícia mas verossímil
Timeu, 29d: «uma história verossímil».
Expressão   de uma convicção   interior (religiosa...)
Todos os mitos escatológicos: Fedon — Gorgias — República
Gorgias, 524c: «por seu lado, junto fé a estes relatos».
A República X, 621b: «o mito pode nos salvar, se aí juntamos fé».

Ver online : PLATÃO