Página inicial > Antiguidade > República V

República V

sexta-feira 25 de março de 2022

  • Parte II (L4, L5-L7): Condições para realizar a justiça assim definida
    • A) Primeira condição: Igualdade dos homens e das mulheres (V [1]- [2])
      • Esta igualdade concerne tanto as funções públicas quanto a educação pois a diferença sexual não implica nenhuma diferença de atitude.

        As mulheres poderão ser Guardiães, guerreiras, filósofas

    • B) Segunda condição: Comunidade de mulheres e de crianças nos guerreiros (V, [3]- [4])
      • Principais vantagens da abolição da família
        • o eugenismo (controle do número de uniões e seleção dos melhores casamentos pelo Estado, sorteios eventualmente falsificados) por um lado

          a educação pelo Estado das crianças (fora da vista de seus pais) depois de seu nascimento (infanticidas eventuais), por outro lado, garantem a melhor sociedade possível, sem propriedade privada de nenhuma espécie, e logo sem dissensão, entre Guardiões, e por conseguinte entre cidadãos

          a educação das crianças deve em particular as associar para a guerra, para a qual devem ser instituídas recompensas e punições e na qual se fará uma distinção clara entre gregos (que não se deverá reduzir à escravidão) e não-gregos

      • Transição: o Estado descrito até o presente
        • que é incontestavelmente justo
        • é realizável?
        • não o será a não ser quando a terceira condição será realizada
    • C Terceira condição: o filósofo Rei (V, [5] até o fim do L7)
      • Dito de outra forma: o Estado justo só realizável se os filósofos se tornam governantes ou se os governantes se tornam filósofos

        1 O que é um filósofo? (V, [6] - VI, [7])

        • Primeira definição: um "apaixonado da sabedoria" (ou "amigo do saber" philo  -sophia)
          • Objeção: esta definição confunde o filósofo e o curioso ( o amador de espetáculos)
        • Segunda definição: o filósofo é aquele que só ama o espetáculo da verdade
          • é preciso distinguir

            • por um lado as Formas reais (eide) - por exemplo o justo e o injusto, o belo e o feio - e suas aparências múltiplas;

              por outro lado, o conhecimento das realidades existentes e a opinião (intermediário entre conhecimento e ignorância) que se tem sobre as aparências (intermediária entre ser e não-ser)

            o conhecimento é infalível, a opinião, a opinião pode ser verdadeira ou falsa

            As Formas e aquilo que é: o conhecimento porta sobre objetos únicos e imutáveis (sempre F  ), a opinião sobre objetos múltiplos e mutáveis, as vezes F   as vezes não-F  

        • Consequência da definição
          • o filósofo é o mais apto a governar

            de sua essência (amar a realidade, toda a realidade, nada mais que a realidade) se deduzem com efeito todas as suas outras virtudes

            Estas virtudes são

            • a sinceridade
            • a moderação
            • a grandeza d’alma
            • a coragem
            • a justiça
            • a doçura
            • a facilidade de aprender
            • a memória
            • a medida
        • Objeção de fato
          • os filósofos parecem bem incapazes de governar

[1Rep5:451c

[2Rep5:457c

[3Rep5:457c

[4Rep5:471c

[5Rep5:473c

[6Rep5:474d

[7Rep6:488a