Página inicial > Antiguidade > Sof 236d-242b: O problema do erro e o do Não-Ser

Sof 236d-242b: O problema do erro e o do Não-Ser

quinta-feira 24 de março de 2022

    

Estrangeiro – O fato, meu bem-aventurado   amigo, é que nos metemos numa investigação espinhosíssima. Este manifestar  -se e este parecer sem que o seja, o poder dizer-se o que não é verdade  , sempre foi problema inextricável, assim na antiguidade   como no nosso tempo  . Pois afirmar que é realmente possível falar ou opinar   em falso sem deixar-se colher de nenhum modo nas malhas da contradição, é o que é difícil, Teeteto  , de compreender.

Teeteto – Por quê?

Estrangeiro – É que semelhante proposição   se atreve a afirmar a existência do não-ser  , sem o que o falso também não existiria. Parmênides, o grande, meu filho  , desde o nosso tempo de criança   e enquanto viveu protestou contra essa doutrina, repetindo sempre, tanto em prosa corrente como em verso:

Nunca, falou, chegarás a entender que o não-ser possa ser.

A alma   conserva afastada de tais reflexões.

Aí tens seu testamento. Porém o mais certo será submeter a sentença à prova adequada. É o que teremos de ver desde já, se não te ocorrer alguma objeção.

Teeteto – Comigo não te preocupes. Pensa apenas na melhor maneira de conduzir o discurso, que eu acompanharei de perto tuas pegadas.