Página inicial > Antiguidade > Reale: Sócrates e a função da lógica

Reale: Sócrates e a função da lógica

quinta-feira 24 de março de 2022

      

Durante muito tempo  , considerou-se que, com seu método, Sócrates havia descoberto os princípios fundamentais da lógica do Ocidente, ou seja, o conceito, a indução e a técnica do raciocínio  . Hoje, entretanto, os estudiosos mostram-se muito mais cautelosos. Sócrates pôs em movimento   o processo que levaria à descoberta da lógica, contribuindo de modo determinante para essa descoberta, mas ele próprio   não a alcançou de modo reflexo e sistemático.

Na pergunta "o que é?", com que Sócrates martelava seus interlocutores, como se vai reconhecendo sempre mais ao nível dos estudos especializados, "em absoluto   não estava já contido o conhecimento teorético da essência lógica do conceito universal  " (W. Jaeger  ). Efetivamente, com sua pergunta, ele queria pôr em movimento todo o processo irônico-maiêutico, sem querer em absoluto chegar a definições lógicas. Sócrates abriu o caminho que deveria levar à descoberta do conceito e da definição e, antes ainda, à descoberta da essência platônica, tendo exercido também um notável impulso nessa direção  , mas não estabeleceu a estrutura   do conceito e da definição, visto que lhe faltavam muitos dos instrumentos necessários para esse objetivo, os quais, como dissemos, foram descobertas posteriores (platônicas e aristotélicas).

A mesma observação vale a propósito   da indução, que Sócrates, sem dúvida, aplicou amplamente, com o seu constante levar o interlocutor do caso particular à noção geral, valendo-se sobretudo de exemplos e analogia  , mas que não identificou ao nível teorético e, portanto, não teorizou de modo reflexo. De resto, a expressão "raciocínio indutivo" não apenas é socrática, mas, propriamente, nem mesmo platônica: ela é tipicamente aristotélica, pressupondo todas as aquisições dos analíticos.

Em conclusão, Sócrates foi de um formidável engenho lógico, mas, em primeira pessoa  , não chegou a elaborar uma lógica ao nível técnico. Em sua dialética, encontram-se os germes de futuras descobertas lógicas importantes, mas não descobertas lógicas enquanto tais, conscientemente formuladas e tecnicamente elaboradas.

E assim se explicam os motivos pelos quais as diferentes escolas socráticas encaminharam-se para direções tão diversas: alguns seguidores concentraram-se exclusivamente nas finalidades éticas, desprezando as implicações lógicas; outros, como Platão, desenvolveram exatamente as implicações lógicas e ontológicas; já outros escavaram no aspecto dialético até mesmo as nervuras erísticas, como veremos.


Ver online : SÓCRATES