Página inicial > Antiguidade > Incorpóreo

Incorpóreo

quinta-feira 24 de março de 2022

Incorporeal entities derive their name from the fact that they are conceived of by abstraction from the body. Consequently, some of them (like intelligence and discursive reason) are genuine beings, existing as well without as within the body, subsisting by themselves, by themselves being actualizations and lives; other beings (such as matter, sense-form without matter, place, time, and so forth), do not constitute real beings, but are united to the body, and depend therefrom, live through others, possess only a relative life, and exist only through certain actualizations. Indeed, when we apply to them the name of incorporeal entities (it is merely a negative designation), indicating only what they are not, but not what they are. (Porphyry  )


Para Brisson   & Pradeau  , como todos os incorporais, é somente quando o deseja que a alma se inclina para o corpo. E;e está presente em um corpo não localmente, mas por relação. Em se inclinando para o corpo, a alma comunica a este um poder que vai se apegar a ele e que Plotino   qualifica de "segundo". Na Enéada I-1, Plotino   dirá que à faculdade superior de nossa alma, esta faculdade primeira que possui o intelecto, pertence o poder primeiro, enquanto à alma que se une ao corpo e que não é senão um reflexo da precedente, só pertence um poder derivado e secundário. mesmo nisto que ela tem de divisível, a alma permanece indivisível, posto que ela está presente inteiramente ao corpo e em não importa em qual de suas partes (Enéada IV, 8  , 1).