Página inicial > Antiguidade > Barbuy: fogo

Barbuy: fogo

quinta-feira 24 de março de 2022

Excerto de BARBUY  , Heraldo. O Problema do ser e outros ensaios. São Paulo  : Convívio, 1984, p. 89-90

Os seres se determinam a partir do Indeterminado [apeiron] de que fala Anaximandro  . Mas é o Fogo de Heráclito  , símbolo da Luz [phos], que cria os seres na Physis. Heráclito   fala de um rio [potamos], que é a imagem de tudo quanto passa; mas não é verdade que, segundo Heráclito  , não há senão o que passa; o Fogo não passa; é o Fogo que faz com que as cousas passem sem passar ele próprio; não desceremos duas vezes ao rio da Physis porque esse rio nunca será o mesmo; o rio que se destacou da noite originária é o reino movediço, onde tudo é tensão, e onde a harmonia só é possível pela conversão dos contrários; a geração dos seres vem do conflito, polemos; tudo resulta das oposições recíprocas e é por isso que tudo flui à maneira de um rio, onde duas vezes não desceremos porque nem nós, nem o rio, seremos duas vezes os mesmos.