Página inicial > Antiguidade > Aristóteles: zoon

Aristóteles: zoon

quinta-feira 24 de março de 2022

Entre os viventes, Aristóteles distingue uma forma de vida caracterizada pela sensação e o desejo (De An II, 2  -3) que podemos denominar animalidade, como dizemos "animais" para estes seres animados. Assim a "animalidade" do homem — seu gênero — parece óbvia: ela não contradiz sua especificidade posto que ela é a base dela (natural e lógica). Mas estes termos convêm mal: o homem é um zoon (razoável, político...), quer dizer um vivente, um ser animado, como a flor, a baleia... e Deus! (Metafísica 7) [Notions philosophiques  ]


Ver online : ARISTÓTELES