Página inicial > Arte e Simbolismo > Arola Arca

Arola Arca

domingo 20 de março de 2022

    

A Arca da Aliança

Em sete anos, Salomão construiu o Templo   de Salomão - templo de Jerusalém para conter o Nome de Deus  . Acabado   e preparado o edifício, ele convocou todos os Anciãos   de Israel   para subirem com a Arca da Aliança. No interior   da Arca havia apenas as duas tábuas de pedra que YHWH entregou a Moisés no Monte Sinai, o qual as colocou dentro de uma arca de madeira  , a mandado de Deus. Quando a Arca foi depositada no Santo dos Santos do templo construído por Salomão, "uma nuvem encheu a Casa   de YHWH. E não podiam ter-se em pé os sacerdotes   para ministrar, por causa   da nuvem, porque a Glória   de YHWH enchera a Casa de YHWH". (I Reis, 8,10-11). Trata-se do mesmo que explica Ezequiel (43,5): "E eis que a Glória de YHWH encheu o Templo." Ou, como também está escrito no final do Êxodo (40,34): "E a Glória de YHWH encheu o tabernáculo."

Quando a Arca é depositada dentro do templo, este se enche de vida, de todas as coisas do mundo, do sol   e da lua  , das estrelas e dos planetas, dos rios e montanhas, dos animais e das plantas, pois todas estas coisas e as demais são a Glória de Adonai  , o Nome de Deus. De que se está falando? Da Aliança, do pacto de união   entre os dois   reinos, o do céu e o da terra  . Todo o simbolismo do templo que nos conduz ao templo interior, centraliza-se nessa Aliança, a Aliança de YHWH com seu povo, que reconstrói o "instante intemporal" da boa formação. Diz Jean Hani  , referindo-se à relação   estabelecida, nos templos cristãos, entre as formas quadradas (que representam a terra) e as formas circulares (que representam o céu): "O edifício sagrado aparece, portanto, como uma variação sinfônica do mesmo tema arquitetural, repetindo-se, somando-se indefinidamente a si mesmo  , a fim de recordar o simbolismo fundamental do templo: a união do céu e da terra, o tabernáculo de Deus entre os homens, conforme cantou magnificamente São Máximo o Confessor, em seu poema sobre Santa Sofia de Edesa:

"É algo realmente admirável que, em sua pequenez (este templo), seja semelhante ao vasto mundo... Eis que seu teto se estende como os céus: sem colunas, abobadado e fechado. Além disso, (está) adornado com mosaicos de ouro  , como o está o firmamento com estrelas brilhantes. E sua cúpula elevada é comparável ao céu dos céus. Semelhante a um capacete, sua parte superior repousa solidamente sobre a parte inferior  . Seus arcos, amplos e esplêndidos, representam os quatro cantos do mundo. Além disso, pela variedade de suas cores, assemelham-se ao arco glorioso, aquele das nuvens." Este é o templo que está cheio da Glória de YHWH, não pelas formalidades construtivas, uma vez que a Glória de YHWH é à imagem e semelhança   de YHWH.

Em uma das paredes do templo de Ramsés II, lemos: "Este templo é como o céu, em todas as suas disposições." É como o que está escrito em Êxodo (25,9): "Conforme a tudo o que Eu (O Santo Bendito   Seja) te mostrar para modelo do Tabernáculo... assim mesmo o fareis." A forma do templo, suas medidas e cores, materiais e proporções, estão dispostos e desenhados segundo um modelo divino  . O que seria como dizer: o templo desce do céu e condensa-se na terra; a terra é fecundada pelo código do macho  , como a Virgem Maria pela visita do anjo   Gabriel. Desta união nasce o verdadeiro templo, Sua Casa entre os homens.