Página inicial > Medievo - Renascença > Cassiano Collatio XV-2

Cassiano Collatio XV-2

domingo 20 de março de 2022

      

Cassiano   Collatio XV - CONFERÊNCIA XV — SEGUNDA CONFERÊNCIA DO ABADE NÉSTEROS - DOS CARISMAS DIVINOS

II. Em que se deve admirar os santos

Deste modo, nunca devemos admirar por seus milagres os que se empenham em praticá-los. Devemos, antes, ver se são perfeitos pela correção de todos os seus vícios   e pela emenda de sua vida. Isto não é um beneficio obtido pela fé de um outro ou por causas diversas, mas pelo esforço de cada um, com o auxílio da graça divina.

Esta é a ciência prática, que o Apóstolo, usando outro vocábulo, chama de caridade, e que a sua autoridade   nos ensina a preferir a todas as línguas dos homens e dos anjos  , a plenitude   de fé capaz de remover montanhas, a toda ciência e profecia   e, enfim, mesmo ao martírio glorioso.

Com efeito, depois de ter enumerado todas as espécies de carismas, dizendo: "A um é dado pelo Espírito uma palavra de sabedoria  , a outro uma palavra de ciência, a outro a fé, a outro o dom das curas, a outro o poder de operar milagres" (1 Cor 12, 8-10), ele se prepara para falar da caridade. Prestai atenção como ele, em poucas palavras, a põe acima de todos os carismas: "Agora eu vou mostrar uma via ainda mais excelente" (id 31,10).

Isto demonstra claramente que o cume da perfeição e da bem-aventurança   não consiste em operar milagres, mas na pureza   da caridade. E não sem razão. Porque os primeiros são destinados ao esvaziamento e a destruição, ao passo que a caridade há de ficar eternamente (Cf 1 Cor 13,8).

Por isto, não vemos os nossos pais   irem atrás de obras milagrosas. Ao contrário, quando mesmo a graça do Espírito Santo lhes deu esse poder, eles jamais consentiram em exercê-lo, a não ser   em caso de extrema e inevitável necessidade  .


Ver online : Philokalia