Página inicial > Antiguidade > Nothomb: Segundo Relato (Gn 2,10-14)

Nothomb: Segundo Relato (Gn 2,10-14)

segunda-feira 25 de julho de 2022

    
2,10 Un fleuve sort d’Eden   pour irriguer le jardin, et en
2,11 quittant il se divisera et deviendra quatre « têtes ».
2,11 le nom du numéro un : Pishon, c’est lui qui entoure tout le pays de Havila, où se trouve l’or.
2,12 L’or de ce pays est beau ; là le bdellium et la pierre d’onyx.
2,13 Le nom du second fleuve : Guihon, c’est lui qui entoure tout le pays de Kush.
2,14 Le nom du troisième fleuve : Hidekel, c’est lui qui coule à l’orient d’Assur, et le quatrième fleuve (est) l’Euphrate. [Nothomb  , Relatos bíblicos da criação]

Leo Schaya  

Gen 2,10 E um rio (de vida e luz divinas) saia (do Centro  ) do Éden, para irrigar (ou atualizar as possibilidades primordiais das manifestações ocultas em) o jardim (ou estado   central da Manifestação   universal   de Deus  . Mas este «rio» saia a princípio do Centro ou Ponto de partida mesmo do «Mundo da Emanação  » transcendente de Deus); e daí, se dividia em quatro braços (quer dizer que a partir da Fonte   suprema, o «fluxo» luminoso do Uno   se multiplica em quatro irradiações que atualizam os «quatro mundos» da Toda-Realidade  . E este processo universal se repete a partir do Centro divino   de cada mundo; assim do Centro do Éden terrestre sai então o único «rio» do Uno, a saber seu Espírito   uno, veiculado pela manifestação una do «Éter»: este único «rio» se subdivide em seguida em todos os quaternários fundamentais do paraíso terrestre, a começar pelos «quatro ventos» ou «espíritos», que são eles mesmos as essências espirituais dos quatro elementos   etéreos, dos quatro pontos cardeais, assim como dos «quatro metais» fundamentais: o ouro  , a prata, o cobre e o ferro.

Gen 2,11-14 O nome do primeiro (braço, — o «nome do primeiro», shem ha-ehad, podendo ser traduzido também por «o nome do Uno») é Pishon; é ele que cerca todo o país de Havilah (símbolo do Mundo do Uno ou de sua «Emanação» transcendente) onde se encontra o ouro (a Luz divina). E o ouro deste país é bom (é o «ouro» ou a Luz de Kether elyon, da «Coroa suprema» ou do Bem supremo); a;i (também) se encontram o bedélio e a pedra de ônix (símbolos das manifestações de Hokhmah   e de Binah). E o nome do segundo rio é Guihon; é aquele que cerca toda a terra   de Coush (símbolo do «Mundo da Criação» prototípico no seio da Imanência   divina). E o nome do terceiro rio é Hiddeqel; é aquele que flui a oriente de Ashur (símbolo do «Mundo da Formação» celeste). E o quarto rio, é o Eufrates (que, simbolicamente falando, alimenta o «Mundo do Fato» terrestre, a partir de seu Centro espiritual, o Éden de baixo)».


ÍNDICE: Segundo Relato

Ver online : BÍBLIA DAS ORIGENS