Página inicial > Oriente > Fernandes (FC:38-39) – Libertação do Sofrimento

Fernandes (FC:38-39) – Libertação do Sofrimento

sexta-feira 23 de setembro de 2022

    

Mas, então, o que é que o Sábio   ensina? Aqui estão três das Quatro Nobres Verdades (Ariya-Sacca): uma delas, sobre o que há de ser abandonado — o que origina (nidana) o sofrimento   (dukkha), ou seja, o que origina o Encadeamento da Originação Dependente   (Paticca samuppada); outra, sobre o que há de ser realizado — a extinção do sofrimento (nibbana, esfriamento pelo sopro); e outra, sobre o Caminho   (magga) para sua extinção. A condição de todas elas, no entanto, é a primeira das Quatro Verdades: não é, nem o que se há de abandonar, nem o que se há de realizar, nem o Caminho para essa realização  , mas é o que se revela ao olhar que vê «o que é», sem compará-lo com «o que deve ser»:

O sofrimento é o meu ensino.

Trata-se, pois, não de um filosofar que visa satisfazer nossa curiosidade, ou a obtenção de conhecimento — algo que não tínhamos e viríamos a adquirir —, mas de uma «metafísica  » (doutrina   acerca do Ser, da Existência) cuja compreensão é a libertação do sofrimento. Nem especulação  , nem teorização, nem fé. O círculo   de causas e efeitos em que, sem que haja uma causa primeira, os efeitos tornam-se causas e as causas efeitos, a Roda da Vida (Bhavacakka), do nascimento (jati), decadência (djara) e morte (marana), o encadeamento radical, de raiz (hetu) em raiz, e de consequência (phala) em consequência, tem o seguinte «esquema»:

Aquilo sendo assim, isto vem a ser; do vir a ser   daquilo, isto vem a ser; aquilo estando ausente, isto não vem a ser; da cessação daquilo, isto cessa.


Ver online : Sergio L. de C. Fernandes