Página inicial > Oriente > Wei Wu Wei (FPM:17) – a escala de observação cria o fenômeno

Wei Wu Wei (FPM:17) – a escala de observação cria o fenômeno

terça-feira 30 de agosto de 2022

    

tradução

A escala de observação   cria o fenômeno

Os fenômenos só nos aparecem como resultado da distância focal em que são colocados em relação aos nossos órgãos dos sentidos. Em outra faixa focal, deveríamos perceber galáxias de átomos e seus satélites onde agora percebemos o que descrevemos como uma xícara de chá. No alcance focal mais próximo, nenhuma forma independente, nenhum fenômeno separado seria perceptível, ou cognoscível mesmo por inferência. Em um alcance focal mais longo, eles se tornariam novamente indistinguíveis. Mesmo na física   a Forma e a Substância   dependem de um ajuste   físico, e só existem sujeitas a um arranjo artificial do nosso aparelho sensorial.

Se Causa   e Efeito são uma coisa inteira na Realidade – o efeito sendo o anverso da causa, então, como nenhum Efeito tem uma única Causa no Espaço-Tempo, surge uma vasta ligação, Tempo e Espaço se fecham como uma sanfona, e assumem a aparência (em pensamento  ) de um bloco sólido e imóvel  .


Reencarnação e Recorrência, 2

Na realidade não há seres vivos a serem liberados pelo Tathagata  .
 
—O Buda  , no Sutra   do Diamante XXV

O “renascimento” poderia ser o resultado de morrer   sem ter transcendido as três dimensões mais o tempo (morrer com a quarta dimensão ainda percebida como tempo).

Assim, morrer o evento da morte não nos livraria dessa limitação   e nossa consciência   poderia ter que continuar (no que diz respeito a ela mesma) sujeita a essa ilusão   — que em si constitui o que conhecemos como vida. Mas como a consciência é baseada na memória, e como a memória não é “renascida” (transmitida de nascimento a nascimento), o que restaria para reencarnar além da capacidade de percepção?

A consciência quadridimensional, uma vez realizada, temos nossas “vidas”, mas não poderíamos “renascer  ”.

Quando não há mais tempo (sem Passado   ou Futuro), ou seja, uma vez que nossa “vida” acabou, tendo percebido que o “tempo” não existe como tal e é apenas a quarta dimensão do espaço – como poderia haver renascimento? ?

A própria “vida” é uma ilusão, ou seja, o processo de “viver  ” não é real. O Sutra do Diamante   nos diz isso e, talvez, algo mais.

Original

The Scale of Observation Creates the Phenomenon

Phenomena only appear to us as they do as a result of the focal range at which they are placed in relation to our sense   organs. At another focal range we should perceive galaxies of atoms and their satellites where now we perceive what we describe as a tea-cup. At the closer focal range no independent forms, no separate phenomena would be perceptible, or knowable even by inference. At a longer focal range they would again become indistinguishable. Even in physics Form and Substance are dependent on a physical adjustment, and only exist subject to an artificial arrangement of our sensorial apparatus.

If Cause and Effect are one whole thing in Reality—the effect being the obverse of the cause, then, since no Effect has a single Cause in Space-Time, a vast linkage emerges, Time and Space close up like a concertina, and assume the appearance (in thought) of a solid motionless block.

Reincarnation and Recurrence, 2

In reality there are no living beings to be liberated by the Tathagata.

—The Buddha, in the Diamond Sutra XXV

“Rebirth” could be the result of dying without having transcended the three dimensions plus time (dying with the fourth dimension still perceived as time).

So dying the event of death would not relieve us of that limitation and our consciousness might have to continue (as far as it itself was concerned) subject to that illusion—which in itself constitutes what we know as life. But since consciousness is based on memory, and since memory is not “re-born” (carried over from birth to birth), what would be left to reincarnate apart from the capacity for awareness?

The four-dimensional consciousness once realised, we hve out our “lives” but we could not be “reborn.”

When there is no longer time (no Past or Future), i.e. once our “life” is over, having realised that “time” is non-existent as such and is only the fourth dimension of space—how could there be re-birth?

“Life” is itself an illusion, i.e. the process of “living” is not real. The Diamond Sutra tells us that, and, perhaps, little else.


Ver online : Wei Wu Wei – Fingers pointing towards the moon