Página inicial > Medievo - Renascença > Boécio (CF:21) – deixaste de saber o que tu és...

Boécio (CF:21) – deixaste de saber o que tu és...

terça-feira 22 de fevereiro de 2022

Na verdade, as características dos males que te afetam e sua força são tais que elas podem deslocar um ser humano longe de sua morada, mas não lhe tirar o juízo nem o arrancar por inteiro de si próprio. Mas eu [Filosofia] gostaria que respondesses também à seguinte pergunta: tu te lembras de que és um homem?” “Como”, disse eu [Boécio], “haveria de não me lembrar?” “Então”, replicou ela, “o que é afinal um homem? Poderias me explicar?” “Tu me perguntas: se sou um animal racional e mortal? Sim, eu o sei, e é isso que digo que sou.” E ela me perguntou: “Não sabes que és mais alguma coisa?” “Não”, respondi. Disse então ela: “Agora reconheço uma outra causa de tua doença, e talvez esta seja a causa principal: deixaste de saber o que tu és. [BOÉCIO. A consolação da filosofia. Tr. de Willian Li. São Paulo: Martins Fontes, 1998, p. 21]