Página inicial > Antiguidade > Judaico-Cristandade > Gnosticismo > Evangelho de Tomé > Evangelho de Tomé - Logion 15

BIBLIOTECA DE NAG HAMMADI

Evangelho de Tomé - Logion 15

EVANGELHO DE TOMÉ

quarta-feira 20 de julho de 2022, por Cardoso de Castro

    

Pla

Jesus   disse: quando víreis aquele que não foi engendrado de mulher  , prosternai-vos sobre vosso rosto e adorai-o: este é o vosso pai  .


JESUS HA DICHO: CUANDO VEAIS AL QUE NO HA SIDO ENGENDRADO DE MUJER, PROSTERNAOS SOBRE VUESTRO ROSTRO Y ADORADLE: ESTE ES VUESTRO PADRE.

Puech

15. Jésus a dit : Lorsque vous verrez celui qui n’a pas été enfanté de la femme, prosternez-vous sur votre visage et adorez-le : celui-là est votre Père.

Suarez

1 Jésus a dit : 2 quand vous voyez celui 3 qui n’a pas été engendré de la femme, 4 prosternez-vous sur votre visage, 5 et adorez-le : 6 celui-là est votre Père.

Meyer

Jesus said, “When you see one who was not born of woman, fall on your faces and worship. That is your father.” [Cf. John 10:30.]


Suarez

Ce logion semble avoir disparu au niveau des év. can. Les évangélistes ont sans doute trouvé obscure ou irrecevable la notion de visage originel qui, il convient de le noter, est un thème classique de méditation dans le bouddhisme Tch’an (Zen). Il est possible cependant qu’une partie de Mt 16.17 soit une réminiscence des v. 2-3 : « Heureux es-tu, Simon Bar-Jona, parce que chair et sang ne t’ont pas révélé cela, mais mon Père qui est dans les cieux. » (cf. log. 13)

Roberto Pla

Os não engendrados de mulher, aqueles que disse Jesus que o menor deles era maior que o maior entre os nascidos de mulher, são os filhos da promessa, os quais se contam como descendência   de Deus  . Isto é, não são os filhos da carne   que são filhos de Deus; mas os filhos da promessa são contados como descendência (Rom 9,8). Isto o confirma o Salmo   quando o Senhor diz ao fruto   de Davi: «Tu és meu Filho, hoje te gerei.» (Sl 2,7)

Estes filhos vindos de Deus se constituem em todos os casos, dada sua condição de ser fruto do seio do varão, no Senhor do homem   adâmico em quem se desenvolveram como fruto da semente   semeada por Deus neles, até chegar a formar inteiramente um homem novo, segundo e celeste, vindo depois do primeiro homem, o homem velho, terreno. (v. ADÃO ALMA VIVENTE - ADÃO ESPÍRITO VIVIFICANTE)

O homem do céu é segundo, só se se atém a sua ordem de aparição ascendente visto desde a terra  ; mas se se olha desde o alto, como Filho do Homem feito no sexto dia da criação, é o primeiro, pois precedeu em tempo   e proximidade a Deus, ao Adão   do Paraíso  .

Talvez seja este o motivo de que a tal Filho do Homem, vindo do céu, se o chame Primogênito de toda criação, feito a imagem de Deus invisível [1].

Tudo isto o explica muito bem Paulo quando expõe qual é em seu entender o plano salvífico de Deus quanto ao homem. São chamados todos aqueles que o amam, e todos podemos amá-lo, pois de antemão fomos predestinados a reproduzir a imagem de seu Filho. Este, seu Filho, é no homem, o homem pneumático ou Filho do Homem que como cordeiro de Deus se faz carne (Jo 1,14) em cada homem que vem a este mundo. Assim pois, cada homem é, portanto, o homem completo   e trino que inscrito em sua vestidura carnal e formando parte dela por identificação, conhece a Cristo manifesto   segundo a carne.

Logo, em virtude   de uma nova, segunda, criação (ou regeneração), imputável tanto à intervenção inspiradora de Deus para bem dos que o amam, como a uma designação que convém de maneira natural aos chamados, é dada a estes a graça   de estar em Cristo por meio de uma transformação   do velho no novo. Esta transfiguração da consciência   permite ao novo não só conhecer a Cristo segundo a carne, senão também segundo o espírito  . Os que assim conhecem a Cristo são também conhecidos — elegidos — por Deus, pois foram predestinados a reproduzir em todos os escalões de si mesmos a imagem do Filho (Rm 8,28-29; 2Cor 5,16-17).

Para quem é conhecido por Deus, seu rosto (o próprio   rosto do eleito   que é conhecido), e o Filho são uma só coisa enquanto que a imagem reproduzida é meramente uma luz limitada sobre a vestidura própria e visível   do Adão de palha e de barro.

A imagem verdadeira é oculta mas se mostra, se faz manifesta, pela dupla ação aprofundadora do batismo de água e de espírito. Esta ação é a que faz possível, ao final, que o Filho seja visto, bem entendido que ao dizer ver se alude aqui ao fato de discernir com os olhos do conhecimento ao Filho até então oculto para a consciência. Este último está explicado como plano de Deus no evangelho joanico: Esta é a vontade de meu Pai: que todo o que veja ao Filho e creia nele, tenha vida eterna (Jo 6,40).

Na metanoia   (ou metanoesis) encomendada por Jesus como começo da penetração nos objetivos fixados pela Boa Nova, estão os traços essenciais de uma contemplação   atenta a todo acontecimento interior  , cuja finalidade última é o reconhecimento da imagem ou rosto da primeira criação.

Esta finalidade se cumpre quando o Filho é visto como resultado de uma vigilância   ininterrupta, de um estar atento em adoração acesa na chama viva. Este ato é correlativo do esquecimento   ou negação de si mesmo   — do homem velho — que Jesus põe como condição ao que pretende segui-lo. Há que entender esta negação como uma ruptura das fronteiras próprias, que se veem arrasadas pelo conhecimento ou pelo amor, em alas de universalidade que seguramente constitui a essência   do Filho do Homem. Por isso disse Jesus aquilo de que: Se o grão de trigo não cai na terra e morre, fica ele só; mas se morre dá muito fruto (Jo 12,44) (v. [-art7951]).


Ver online : THE GOSPEL OF THOMAS COLLECTION


[1Col 1,15. A morte dos primogênitos relatada em Ex 12,29-30, é figura, até certo ponto, da degola ou morte desta classe de filhos do alto. Também é este o sentido alegórico da progenitura reconhecida a Jacó ainda sendo segundo e desdenhada por Esaú, o primeiro a nascer.