Página inicial > Antiguidade > Judaico-Cristandade > Gnosticismo > Evangelho de Tomé > Evangelho de Tomé - Logion 12

BIBLIOTECA DE NAG HAMMADI

Evangelho de Tomé - Logion 12

EVANGELHO DE TOMÉ

quarta-feira 20 de julho de 2022, por Cardoso de Castro

    

Pla

Os discípulos disseram a Jesus  : sabemos que nos abandonarás; quem chegará a ser grande entre nós  ? Jesus lhes disse: lá onde ides, ireis até Tiago o justo, pois quem retorna, ao céu e à terra   lhe concerne (ou: para que o céu e a terra foram feitos).


LOS DISCIPULOS DIJERON A JESUS: SABEMOS QUE NOS ABANDONARAS; ¿QUIEN LLEGARA A SER GRANDE ENTRE NOSOTROS? JESUS LES DIJO: ALLA DONDE VAYAIS IREIS HACIA SANTIAGO EL JUSTO, PUES QUIEN VUELVE, AL CIELO Y A LA TIERRA LE CONCIERNE (ver: PARA QUIEN EL CIELO Y LA TIERRA HAN SIDO HECHOS) [1].

Leloup

Os discípulos disseram a Jesus: Sabemos que nos deixarás; quem se fará grande sobre nós  ? Jesus lhes disse: No ponto que estareis, ireis a Tiago o Justo: o que concerne o céu e aterra lhe é remetido.

Puech

12. Les disciples dirent à Jésus : Nous savons que tu nous quitteras : qui est-ce qui deviendra grand sur nous? Jésus leur dit : Où que vous alliez [2] vous irez vers Jacques le Juste, pour qui le ciel et la terre ont été faits.

Suarez

1 Les disciples dirent à Jésus :
2 nous savons que tu nous quitteras;
3 qui deviendra grand sur nous ?
4 Jésus leur dit :
5 au point où vous en êtes,
6 vous irez vers Jacques le juste :
7 ce qui ressortit au ciel et à la terre le concerne.

Meyer

(1) The disciples said to Jesus, “We know that you are going to leave us. Who will be our leader?”
(2) Jesus said to them, “No matter where you have come from, you are to go to James the Just, for whose sake heaven and earth came into being.” [3]

Mt 18,1

1 Naquela hora chegaram-se a Jesus os discípulos e perguntaram: Quem é o maior no reino dos céus?

MC 9,33

33 Chegaram a Cafarnaúm. E estando ele em casa  , perguntou-lhes: Que estáveis discutindo pelo caminho? 34 Mas eles se calaram, porque pelo caminho haviam discutido entre si qual deles era o maior.

Lc, 9,46

46 E suscitou-se entre eles uma discussão sobre qual deles seria o maior.


Suarez

LOGION 12

Mt 18.1 // Mc 9.33-34 // Lc 9.46

La querelle des disciples, que l’on appelle en général dispute sur la préséance, pose en réalité le problème de la succession de Jésus. Le Maître sait que son enseignement lui vaudra une mort prochaine; il le dit tout haut (Mt 17.22-23 et //). Les disciples le savent; ils disent du reste dans Ts : nous savons que tu nous quitteras ; qui deviendra grand sur nous ? L’injonction que Jésus leur adresse d’aller vers Jacques le juste met en valeur les dons et les qualités naturelles de Jacques : ce qui ressortit au ciel et à la terre, autrement dit les affaires temporelles, le concernent. Le ciel et la terre passent, avons-nous vu au logion précédent mais les paroles de Jésus ne passent pas. C’est pourquoi Jacques ne sera pas le successeur dans la mission de transmettre la parole. Le logion suivant, qui découle naturellement de celui-ci, nous montre que le futur Maître est Thomas.

Roberto Pla

O tema da "grandeza  " é suscitado, segundo o relato evangélico, pela mãe dos filhos de Zebedeu em uma petição para seus filhos, os apóstolos Tiago e João. O que eles desejam é alcançar é a proximidade absoluta com Cristo, pois isto é o que significa a apaixonada petição de instalar-se à direita e à esquerda de Jesus, quer dizer, em identidade, em unidade   com ele.

Em seguida adverte Jesus aos dois   filhos do trono que o trânsito da Paixão — o amargo cálice da vertigem, como diz Isaías — não é um cálice cuja bebida possa eludir-se no caminho até o Reino. Inclusive, os confirma: "Meu cálice, se as bebereis, posto que eles se manifestam dispostos a saborear esse difícil momento para ascender ao Reino, que consiste em morte primeiro e ressurreição   depois segundo a sentença que transmite o evangelista: "Se o grão de trigo não cai na terra e morre, não dá fruto  ".

Este cálice não pode ser concedido a pedido de ninguém, a não ser que o tome por posse por vontade do Pai   todo aquele que está preparado para isso. O cálice é o que confere a grandeza, mas não quando se apura com o propósito de ser o primeiro, mas como resultado de um serviço que se cumpre quando se dá a vida como resgate por muitos (Mt 20,20-28).

Nisso consiste a Paixão completa. Sem dúvida é somente esta Paixão o que se reputa como "grandeza", ao exigir ao mesmo tempo   a prática e o ensinamento dos mandamentos (Mt 5,19). Como diz Lucas com referência ao Batista ao consignar-lhe como grande: o será — será grande — para "devolver aos rebeldes à prudência   dos justos e preparar para o Senhor um povo bem disposto" (Lc 1,17).

Se compreende que o caminho até a grandeza se integra no tremendo trânsito da Paixão do Justo em favor dos ainda injustos. Por isso diz Pedro que Cristo é "o justo morto na carne   pelos injustos e ungido   no espírito  ".

Segundo o salmista, "Deus   está pela raça   do justo", e por isso Jesus o Vivente, Jesus o ressuscitado, que aparece aos discípulos na Galileia, no Monte Tabor, os pede que sigam o caminho do justo. Se este caminho identifica Jesus o Vivente com Tiago, é porque o apóstolo havia feito voto de não comer pão desde aquela hora em que bebeu o cálice do Senhor até que lhe fora dado ver-lhe ressuscitado dentre os mortos.

Razão   pela qual no Evangelho dos hebreus se diz, depois de haver pedido o Senhor em sua aparição que o trouxeram a mesa e o pão, "tomou de pão, o bendisse, o partiu e o deu a Tiago o justo, dizendo-lhe: Irmão meu, come teu pão, porque o Filho do homem   ressuscitou dentre os mortos". Esta informação se deve a São Jerônimo, que diz ter traduzido do grego para o latim este evangelho tão incompreensivelmente perdido. Alguns estudiosos opinam que este logion pode se referir a Tiago Menor, irmão do Senhor. De todas as formas, que Jesus chamasse de irmão a quem comia seu pão, não credita um irmão de sangue   senão de espírito, pois ele mesmo havia dito que sua mãe e seus irmãos são aqueles que ouvem e cumprem a vontade de Deus (Mc 3,35). Por outro lado a identificação do São Tiago aludido não é um fundamento religioso senão histórico. Para a exegese   oculta o que importa é o motivo da referência ao justo.

Com sua promessa, seguia São Tiago o exemplo de Jesus que em ocasião de sua ceia pascal   havia dito: "Porque vos digo que não a (Páscoa) comerei mais até que ela se cumpra no Reino de Deus".

O cumprimento da Páscoa, consiste na consumação   mediante a qual a Pascoa e o copa que o enamorado de Deus come e bebe durante o Caminho, se converte, além do véu, no Pão e no cálice que vem do Reino de Deus.

Daí a promessa de São Tiago e sua bem merecida reputação de justo, pois o pão que vem do céu e da terra. os dois mundos ou esferas da carne e a psyche  , vem a servir de Caminho aos homens até o basileia   - Reino; mas só o pão — e com ele o cálice que a todos convém beber — que oferece o Filho do Homem, uma vez ressuscitado dentre os mortos, é pão de vida e de justiça.

Por isso pode se dizer que ao céu e à terra concernem todo caminho de retorno que culmine para o andar humano em ser "grande". Por isso foram feitos o céu e a terra, para que ao caminhar por eles se faça grande o homem, não somente em vontade e capacidade para ser justo, senão ademais, "para retornar aos rebeldes à prudência dos justos" mediante o ato amargo de beber até esvaziar "o cálice da vertigem" (Is 51,17).


Ver online : THE GOSPEL OF THOMAS COLLECTION


[1Aceptamos para este difícil texto la traducción dada por Philippe de Suarez, pero sin desechar la ofrecida por el Brill, pues ambas tienen un mismo sentido.

[2Litt. : « là où vous serez allés ».

[3On James the Just, see the New Testament Acts of the Apostles; Gospel of the Hebrews 7; the Secret Book of James; the First and Second Revelations of James; Hegisippus, in Eusebius Church History 2.23.4–7; Josephus Jewish Antiquities 20.200.